Curso de Extensão em Orquestração

Curso de Extensão em Orquestração

START:
04/02/2019
DURATION:
32 horas
Curso de Extensão em Orquestração

Curso de Extensão em Orquestração

 

Cursos de extensão em Orquestração

Prof. Rodrigo Morte

“Devido a termos atualmente demanda crescente pela elaboração de material original (arranjos, composições, adaptações), especialmente em casos como: Projetos em que se articulam formações de grande porte ao repertório da música popular contemporânea;  Adaptações de peças e produções internacionais de musicais, óperas e afins; Gravações (fonogramas, trilhas para cinema, teatro, TV, videogame).”

Oferecemos os seguintes cursos:

  • Técnicas avançadas de orquestração em arranjos de música popular

  •  Harmonia modal-cromática em composição e arranjo

  • Arranjo avançado para sopros

 

Unidade Paraíso

3a feira das 16h as 18h e
5a feira das 14h as 16h.

Valor R$ 990,00
32 horas de curso.

 


Proposta de cursos de extensão em Orquestração

Prof. Rodrigo Morte

 

Introdução

Apresentamos, a seguir, propostas de cursos de extensão em nível de pósgraduação voltados ao aprendizado de composição, orquestração e arranjo.

Os cursos poderão ser oferecidos de forma independente, não sequencial, em módulos de 32 horas/aula cada.

O conteúdo de cada curso será apresentado em tópicos complementares e posteriormente desenvolvido em atividades práticas, sob constante supervisão docente, visando fundamentar o aluno em suas bases teóricas e articular a pesquisa com sua vivência profissional particular. Todas as atividades serão desenvolvidas e supervisionadas pelo docente Rodrigo Morte.

Justificativa

As disciplinas que envolvem processos criativos são fundamentais nas práticas musicais. Destas, destacamos “Orquestração”, “Arranjo” e “Composição”. O conhecimento acerca das técnicas mais contemporâneas aplicadas a essas áreas garante ao profissional da música, além de maior domínio técnico de sua arte, maior versatilidade e competências para diversificar sua atuação no mercado de trabalho.

As formações instrumentais de grande porte (p.ex., orquestras, big-bands, bandas sinfônicas, bandas militares, etc.) desempenham papel importante nas variadas manifestações da produção cultural da sociedade contemporânea, sendo cada vez mais comuns em ambientes como templos das diferentes vertentes das igrejas evangélicas, ou como instituições ligadas a projetos sociais, corpos estáveis mantidos pelo poder público, forças armadas ou instituições de ensino, em produções fonográficas, gravações, espetáculos de balé, musicais nacionais e adaptações de títulos internacionais, etc.

Dada a variedade de contextos em que as orquestras e demais grupos sinfônicos estão inseridos, e apesar do grande volume de repertório tradicional produzido para esse tipo de formação, observa-se, atualmente, uma demanda crescente pela elaboração de material original (arranjos, composições, adaptações), especialmente em casos como:

1. Projetos em que se articulam formações de grande porte ao repertório da música popular contemporânea;

2. Adaptações de peças e produções internacionais de musicais, óperas e afins;

3. Gravações (fonogramas, trilhas para cinema, teatro, TV, videogame).

Apesar desta necessidade, ao abordarmos o ensino de orquestração, lidamos com uma escassez crítica de material didático em língua portuguesa e de exemplos publicados de partituras da produção nacional atual. O mesmo se aplica a composição no contexto da música popular, quanto a bibliografia. Ato contínuo, ainda que tenhamos boa oferta de material didático, em português, sobre a disciplina “arranjo”, este elabora-se, fundamentalmente, sob uma metodologia que se desenvolve a partir da perspectiva norteamericana do ensino do jazz. Por conseguinte, quando tratamos da aplicação do conteúdo disponível na bibliografia tradicionalmente empregada nestas disciplinas, faz-se necessária sua constante adaptação, especialmente se considerarmos os gêneros da música popular brasileira.

Portanto, diante do exposto, elaboramos três propostas de cursos estruturados a partir da convergência entre o estudo da bibliografia tradicional com trabalho de compilação e pesquisa do docente em mais de vinte anos como arranjador-colaborador da Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo: um de orquestração, em que técnicas do repertório tradicional são aplicadas e desenvolvidas em contextos musicais diversos, um de composição que aplica o que há de mais atual na abordagem da harmonia modalcromática

e, finalmente, um de arranjo que, a partir do estudo do desenvolvimento da metodologia de escrita para big-band no jazz, propõe caminhos e formas de adaptação dos conceitos consagrados nos livros de arranjo a uma maior variedade de gêneros e formações instrumentais.

Objetivos

Os cursos tem por objetivo geral promover o crescimento artístico e a capacitação técnica de profissionais de música através das seguintes diretrizes:

1. Formar especialistas nos diversos domínios do arranjo e composição no âmbito da música popular;

2. Desenvolver competências teórico-práticas indispensáveis à prática de escrita para formações instrumentais de grande porte;

3. Criar condições de um graduado ou licenciado especializar-se nas disciplinas que envolvem técnicas de escrita musical e processos criativos;

4. Capacitar o músico para atuar na indústria fonográfica, do entretenimento e na área da cultura, na elaboração de arranjos e obras originais para gravações, concertos, apresentações, trilhas para cinema, teatro, TV ou videogames.

Público-Alvo

Arranjadores, compositores, produtores musicais, copistas, maestros, mestres de banda, diretores musicais, músicos e graduados em cursos superiores de bacharelado ou licenciatura em música.

Pré-requisitos

1. Proficiência em software de notação musical (Sibelius, finale, etc.);

2. Graduação em música (bacharelado ou licenciatura) ou avaliação de currículo e portfolio;

3. Recomenda-se uso de laptop próprio.

 

Quantidade de vagas: 20

 

Técnicas avançadas de orquestração em arranjos de música popular

1. Fundamentos de orquestração (instrumentação e técnicas);

2. Escrita para cordas;

3. Orquestração (repertório romântico, impressionista e contemporâneo);

4. Orquestração no arranjo de música popular.

Referências bibliográficas

ADLER, Samuel. The Study of Orchestration. New York: W.W. Norton.
ALMADA, Carlos. Arranjo. Campinas: Editora da Unicamp, 2006.
BARRAUD, Henry. Para Compreender as Músicas de Hoje. São Paulo: Perspectiva, 2012.
BOULEZ, Pierre. A música hoje; [tradução Reginaldo de Carvalho e Mary Amazonas Leite de barros]. São Paulo: Perspectiva, 2011.
_________. A música hoje 2; [tradução Geraldo Gerson de Souza]. São Paulo: Perspectiva, 2007.
CORMIER, Stephen M. Modal Music Composition. Estados Unidos:Inman & Artz, 2010.
DOBBINS, Bill. Jazz Arranging and Composing: a linear approach. Alemanha: Advance Music, 1986.
_________. Modal Jazz – Standarts & Originals. Alemanha: Advance Music, 1988.
FREITAS, Sérgio Paulo Ribeiro de. Que acorde ponho aqui? Harmonia, práticas Teóricas e o estudo de planos tonais em música popular. Tese de doutorado. Unicamp, Campinas, 2010.
_________. Sérgio Paulo Ribeiro de. Espécies de oitavas: usos e significados do termo “modo” em diferentes práticas teórico-musicais. In: Seminário nacional de pesquisa em música – SEMPEM, 8, 2008, Goiânia. Anais.
Goiânia, 2008. p. 250-265.
_________. Sérgio Paulo Ribeiro de. Dos modos em seus mundos: usos do termo modal na teoria musical. In: XVIII Congresso da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação (ANPPOM), Salvador. Anais. Salvador, 2008. p. 450-457.
GOLDENSTEIN, Gil. Jazz Composer’s Companion. Alemanha: Advance Music, 1993.
GUEST, Ian. Arranjo. Rio de Janeiro: Lumiar, 1996.
KORSAKOV, Nicolay R.: Principles of Orchestration. New York: Dover Publications Inc.
LIEBMAN, David. A Chromatic Approach to Jazz Harmony and Melody.
Alemanha: Advance Music. 2001.
MESSIAEN, Olivier. The technique of my Musical Language; Translated de John Satterfield. Paris: Alphonse Leduc Éditions Musicales, 1956. 75p.
MILLER, Ron. Modal Jazz – Composition & Harmony. Vol I. Alemanha: Advance Music, 1996.
_________. Ron. Modal Jazz – Composition & Harmony. Vol II. Alemanha: Advance Music, 1997.
_________. Jazz Composition – The Compositional Process. Estados Unidos: RonJam Music, 2001.
NAUS, Wayne J. Beyond Functional Harmony. Alemanha: Advance Music, 1998.
PAZ, Ermelina A. O Modalismo na Música Brasileira. Brasília: Ed. Unimed, 2002.
PERSICHETTI, Vincent. Twentieth-century Harmony: Creative Aspects and Practice. New York: W.W. Norton, 1961.
RUSSELL, George. Lydian Chromatic Concept of Tonal Organization. New York: Concept Publishig Co., 2001.
SCHOENBERG, Arnold. Funções estruturais da harmonia/Arnold Schoenberg; edição e prefácio Leonard Stein; tradução de Eduardo Seincman. São Paulo: Via Lettera, 2004. 224 p.
_________. Arnold. Harmonia. São Paulo: Editora Unesp, 2001.
SLONIMSKY, Nicholas. Thesaurus of Scales and Melodic Patterns. New York;
Macmillan; London; C. Macmillan, 1986.
STURM, Fred. Changes Over time – The Evolution of Jazz Arranging
Alemanha: Advance Music,1996.
VINCENT, John. The Diatonic Modes in Modern Music. Curlew Music
Publishers, Inc. 1974.
WRIGHT, Rayburn. Inside the Score. New York: Kendor Music Inc.,1982.

Currículo do proponente

Rodrigo Morte é compositor, arranjador, gestor cultural, produtor musical e educador.

Foi diretor da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas.

Atua na elaboração de arranjos, composições e trilhas originais para concertos, musicais, filmes, espetáculos de teatro, dança e gravações. Teve peças encomendadas, estreadas e gravadas por grupos de câmara, big-bands e orquestras de renome no Brasil e no exterior, tais como a Orchestre National d’Île de France, Filarmônica de Bruxelas, Westchester Jazz Orchestra, Greensboro Symphonic Orchestra, SoundScape Big-Band, Orquestra Petrobras Sinfônica, Jazzmin Big Band, Orquestra Sinfônica do Recife, Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, Orquestra do Theatro Municipal de São Paulo, entre outros.

É arranjador da Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo desde 1998, tendo escrito para nomes como Rosa Passos, Dave Liebman, Maria Rita, Jane Monheit, Gal Costa, João Bosco, Dori Caymmi, Amilton Godoy, João Donato, Toninho Horta, Regina Carter, Arnaldo Antunes, Yamandú Costa, Hamilton Holanda, Lulu Santos, Ed Motta, César Camargo Mariano, Leo Gandelman, Luís Melodia, Raul de Souza, Mozar Terra, Paulo Sérgio Santos, Daniela Mercury, Ted Nash, Ben Allison, Michael Blake e o Collective Jazz Composers, Paulinho da Viola, Zimbo trio, Nestor Torres, Lenine e tantos outros.

Trabalhou em gravações da Orquestra Jazz Sinfônica de São Paulo, João Donato trio, Zimbo Trio, Nestor Torres, Soundscape Big-Band, Lupa Santiago, Toninho Ferragutti, Sérgio Molina, Daniel, Roberta Miranda (em disco indicado ao Grammy Latino de 2008), entre outros.

Foi coordenador editorial da editora Souza Lima, responsável pela publicação de 12 títulos com distribuição mundial, em parceria com a editora alemã Advance Music/Schott Music.

Leciona disciplinas de “arranjo”, “orquestração”, “harmonia”, “trilha de cinema” e correlatas em cursos de graduação e pós-graduação em instituições como a Faculdade Souza Lima, Faculdade Campo Limpo Paulista (FACCAMP) e no Instituto Estadual Carlos Gomes (Pará).

 

Inscrição:

Para validar e garantir sua inscrição, é necessário cadastrar-se no curso através do formulário abaixo e também efetuar o pagamento clicando no link do PagSeguro abaixo:


 

 

Cadastre-se agora: