Quero ser músico

quero ser musico

O momento de profissionalização em música surge movido por uma intensa dúvida: “o que farei trabalhando como músico?” Mas Quero ser músico!

Em primeiro lugar, deveria haver, independente da escolha do jovem ou do adulto que decide mudar ou ingressar na carreira de músico apoio incondicional dos seus pares. A área de interesse humana está diretamente relacionada ao ponto de satisfação e realização que procuramos. Claro, dificilmente encontramos esse cenário de completa estabilidade e suporte e muito se deve pela ausência de informação no que de fato é ser músico.

Ainda se confunde ser músico com ser artista.

Se o pretendente a músico (ou a musicista) imagina que está ingressando em uma área que terá vida fácil – como o velho conto da cigarra e da formiga – enganou-se. Basta um primeiro olhar nas exigências para o ingresso na faculdade de música para compreender. Sem dúvida virá à mente do aluno: “Se necessito saber tudo isso para entrar na faculdade, o que estudo na graduação em música?”.

O curso de música em nível acadêmico é o que possui entre todas as áreas universitárias a maior exigência de conhecimento prévio ao ingressante, vestibulando (conhece o preparatório para vestibular Souza Lima).

E precisamos mesmo saber tudo isso para ser músico?

Sim! Um músico pode ser instrumentista. Acompanhar artistas, bandas, em programas de auditório, musicais, óperas, apresentações individuais – de música ambiente até uma casa especializada em concertos.

Quero ser músico, mas o que farei como músico?

O instrumentista ainda pode ser especialista em gravações do seu próprio instrumento. E trabalhar continuamente em estúdio.

Um músico pode ser compositor. Responsável pela criação de uma obra artística, ou de uma trilha do mercado publicitário (spot e jingle). Ou se especializar em traduções e adaptações musicais. Compor peças para dança, cinema ou teatro. Trilhas artísticas.

Um músico pode ser regente ou maestro. Liderar um agrupamento diversificado. Atuar de forma interpretativa para grandes agrupamentos.

Um músico pode ser arranjador. Responsável por adaptar uma obra para certos agrupamentos ou para reconstituir esteticamente determinada canção.

Um músico pode ser produtor musical. Com uma função que muitas vezes se confunde com a do arranjador, ou com o produtor financeiro, mas que nesse caso designa algo mais burocrático do que prático em comparação a tarefa do arranjo. Ou mesmo aquele que define a programação artística de uma casa, como um curador.

Um músico pode ser educador musical. Do ensino regular fundamental, do primeiro ao nono ano, ou do ensino médio. Infantil. Ou da prática de um instrumento especificamente ou da teoria envolta as práticas musicais. De uma faculdade talvez…

Um músico pode ser pesquisador acadêmico, seguindo carreira em uma universidade. Ou até mesmo pesquisador intuitivo de práticas populares.

Um músico pode ser artista e desenvolver sua obra.

Um músico pode ser copista, responsável por desenvolver partituras para agrupamentos. Ou mais contemporaneamente ser responsável pelas partituras de determinada orquestra, como arquivista.

Um músico pode tornar-se luthier se especializando no desenvolvimento de determinado instrumento. Ou ainda em regulagens.

Um músico pode se especializar como técnico de som. Ou no aprofundamento como engenheiro de gravação ou engenheiro de som.

E ainda atuar em áreas paralelas com a psicologia como a musicoterapia. O músico como musicoterapeuta.

Somar!

Podemos acumular em nossa carreira mais de uma expertise e atuar de forma concomitante com as ações do músico. Mas enfim, em que você se identifica mais?

Vale que para cada área é preciso um conhecimento específico e muita dedicação.

No BLOG SL, acima, as palavras que definem cada área de atuação transferem à um novo texto específico da atuação do músico. Em breve haverão entrevistas com profissionais atuantes em cada área. Não deixe de acompanhar nosso blog!

Vamos em frente! O conhecimento é um caminho sem volta!

Publicado em dezembro de 2017, como série, atualizado em 24 de maio de 2019.

SHARE
Previous articleO que é Clave?
Next articleQuais os principais problemas que podem ocorrer com um acordeom?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.