Quero ser músico compositor

Seguindo as considerações da série “Quero ser músico” é possível que a segunda área de interesse ao musicista, que ainda não seja afeito aos trabalhos possíveis para atuação em música, seja a composição. Viva o compositor!

A área de composição envolve conhecimentos específicos, e que fogem do senso comum da inspiração e vocação.

 

Imaginava?

 

Composição é uma tarefa árdua que envolve trabalho e dedicação. Claro, que podemos compor algo em cinco minutos, e até surpreender, mas não se ignora que o processo composicional teve origem em outro período nos alicerces do conteúdo e da repetição.

Compor é algo fundamental. Prática.  Continuidade. Todos os compositores descartam dia a dia dezenas e dezenas de esboços. Ideias inteiras. Pequenos temas engavetados. E alguns por fim esquecidos. Para que desses tantos esboços uma obra se desenvolva e se consolide.

Para a composição erudita o futuro compositor precisa passar por um estudo de formas composicionais, harmonia, contraponto, organologia e instrumentação; e por uma construção e referência estética. Há faculdades que oferecem o bacharelado em composição. Um bom programa auxilia na atividade.

 

E agora?

 

Um músico formado em instrumento ou em educação musical pode realizar um curso específico com um compositor que fará orientação plena dos valores necessários – principalmente para ingressar nas atividades do compositor. Alguns compositores orientadores pedem que se domine o piano em até peças a duas vozes de J. S. Bach. Eu discordo desse requisito, mas é uma prática em curso.

Um músico com essa formação poderá desenvolver obras artísticas, trilhas sonoras para filmes, propagandas, rádio e tv. Compor para jogos (games), que é relativamente uma área em ascensão no Brasil e já consolidada no mundo.

A dica é conhecer esteticamente a área que pretende atuar.

A composição popular infelizmente não está formatada em um programa de graduação no Brasil. Em países como os Estados Unidos existe o programa denominado Songwriter – letra e música.

Para quem está para a composição popular poderá atuar artisticamente, ou no mercado publicitário, até games ou filmes – o Brasil utiliza muito a canção como trilha sonora.

Particularmente aconselho aos interessados dessa área cursar composição erudita como bacharelado, ampliando o conhecimento para aplica-lo na sua forma específica da canção, algo que representa síntese. Ou que se organize para estudar no exterior. Leia o artigo sobre.

Dominar um instrumento é importante?

Sim. Nem todos os compositores foram exímios instrumentistas. Alguns. E ter o estudo do instrumento trará envolvimento a obra que será composta. Embora como curiosidade muitas das minhas obras surgiram em meio ao estudo do instrumento. Ajuda em fraseado. Perspectiva estilística.

Algo que um compositor deve se dedicar mais?

Muitos músicos, educadores, compositores responderiam harmonia. Eu particularmente acredito que a maior dedicação de um compositor deve ser na prática do Solfejo.

E aí ajudou?

Vamos em frente!

SHARE
Previous articleQuero ser músico instrumentista
Next articleQuero ser educador musical
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.