Quero ser Educador Musical

educação musical

Um músico educador, ou simplesmente educador musical, é aquele que atribui valores da formação humana através da música. Tanto quanto aquele que através dos saberes da educação consolida a formação do musicista.

Ou seja, o educador musical é o musicista que atua no ensino infantil, no ensino regular – fundamental e médio, e ou aquele que através de um instrumento musicaliza. Musicalizar é humanizar pela perspectiva da música tanto quanto formar plenamente o musicista.

Se da prática coletiva de um grupo infantil ou da formação completa em um instrumento, é de certo modo a função do educador musical acadêmico, a educação em seus valores está em diálogo com a prática musical nas ações do educador.

Desde que iniciei meus estudos ao instrumento almejei também educar. Avaliei meus processos de aprendizado primeiro empiricamente e continuamente procurei reforçar as fontes do aprendizado em ações pedagógicas. Me refiro aos educadores, filósofos da educação e por tanto as metodologias de ensino.

No ensino regular onde me formei em primeiro grau não havia aula obrigatória de música. E isso sem sombra de dúvidas é uma defasagem educacional. São inegáveis os benefícios do estudo da música. Um bom professor cativa e renova ampliando horizontes para o aprendizado uma percepção interdisciplinar.

Quanto a graduação

Ao escolher uma graduação o futuro educador musical pode trilhar dois percursos: o curso de Licenciatura em música ou o programa Educação Musical – nomes distintos que oferecem praticamente a mesma perspectiva de formação e por conseguinte, grade curricular.

Evidente que o futuro educador musical também pode optar por um programa de pedagogia mantendo os estudos da música em cursos livres – aulas particulares ou em um conservatório. No futuro, no entanto, poderá ser exigido o diploma de uma graduação com tema em música especificamente para sua atuação profissional. Algo que pode ser complementar em uma pós-graduação em Educação Musical. Vale acompanhar as alterações da legislação, hoje não há essa especificidade na lei vigente.

No Souza Lima possuímos pós em Educação Musical – com ênfase em desenvolvimento Metodológico.

Vamos prosseguir!

É preciso tocar um instrumento para ser educador musical do ensino infantil e regular?

A priori não. Mas recomenda-se desenvolver uma boa afinação e repertório melódico – do folclore ao cancioneiro popular. O instrumento pode ajudar sem dúvidas. Eu particularmente aconselho. Mas cantar relativamente bem cumpre uma função programática importante.

O que mais o educador musical do ensino regular e infantil necessita?

Para as ações de educador eu considero repertório primordial, e muito. Evidentemente que conhecimento técnico e auditivo de estilos, gêneros, instrumentos, teoria. Algum conhecimento histórico. Como falei do canto, considero fundamental o domínio do Solfejo ao educador musical!

O educador do instrumento

Nos cursos que formam instrumentistas, bacharéis, normalmente a prática docente do instrumento fica escanteada, uma lacuna incomensurável no saber do instrumentista formado.

Problema que se amplia quando o instrumentista terá que educar. Sem refletir repetirá os equivocos da sua própria formação.

Fato que muitos bacharéis em instrumento iniciam práticas letivas sem nunca ter estudado, ou sequer folheado um livro de educação musical ou de pedagogia.

Músicos que estudaram apenas livros técnicos ignoram identidade, e aspectos da psicologia que envolve a educação individual ou até mesmo linhas de construção de conhecimento. Um excelente músico e que ensina? É importantíssimo aprender a ensinar tanto quanto em determinado momento aprendemos a aprender.

Há muita resistência dos músicos de maneira geral, da prática do instrumento, em aperfeiçoar-se no ensino. Alguns chegam a desmerecer quem o faz ou quem optou pela formação em licenciatura. Erro cabal.

Ao músico bacharel formado sugiro realizar uma licenciatura, pedagogia ou uma especialização em educação para realizar as classes individuais de instrumento de maneira mais preparada. Esteja disposto a troca que é o ensino!

As licenciaturas, por sua vez, introduzem alguns instrumentos, alguns cursos até três – piano, violão e flauta doce, bastante superficialmente.

E no ensino superior?

Ao docente do ensino superior resta seguir os graus acadêmicos.  Encarar mestrado e doutorado para se desenvolver na área científica. Mas esse assunto fica para um outro momento.

Vamos estudar!

PS: Escrever o nome (que já é um símbolo) abaixo ou acima de outro símbolo musical não contribui com o aprendizado. Não faça! Opte por uma construção, inicie com poucas notas e agregue uma a uma, semana a semana. Fica a dica! A imagem é meramente ilustrativa e trouxe essa dica importante aos amigos e leitores. Aproveite!

Um pouco mais em vídeo! #VemProSouzaLima

 

SHARE
Previous articlePor que algumas músicas fazem tanto sucesso?
Next articleQuero Ser Músico Arranjador
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville e Ribeirão Preto. Também é idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes também atua na instituição em tarefas administrativas, é assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. É autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music.