Quando começou a escrita de instrumentos transpositores?

Quando começou a escrita de instrumentos transpositores?

Relembremos que instrumento transpositor é aquele que por algum motivo diverge em escrita entre os sons reais, por exemplo da escrita do piano, aos sons que são representados pautados.

A ampliação e compreensão dos valores da transposição se consolidou no período barroco.

Até então cada instrumento de sopro era construído em variações que atendiam determinada tonalidade. Ou seja, havia versões de um mesmo instrumento para que se tocasse no conjunto de dó maior, outro para o conjunto de fá maior, outro para sol maior…

Mesmo a voz passou por processos de transposição, escrever a altura cravada para um instrumento em consciência data de a partir de 1700. Com a voz em meados da Renascença já se compreendia seu registro.

A importância de BACH

No período Barroco com o desenvolvimento e consolidação da escala temperada, no tempo de Bach e com sua forte influência, os instrumentos passaram a atender todas as doze alturas. Bach para consolidar essa questão compôs seu famoso “O cravo bem temperado”.

Os instrumentos de cordas, por sua vez, pinçadas e friccionadas, ampliavam sua compreensão de execução. Em sua origem alicerçaram-se sob outros instrumentos, e mesmo que mudassem entre um instrumento e outro o registro de execução mantinha-se a escrita sem altera-la.

Havia proporcionalidade, ao ampliar a compreensão sobre as regiões, e por assim a ampliação da tessitura da música que se fazia, já não fazia sentido alterar a escrita  estabelecida.

Ao apreciar uma obra entre o período barroco e o período romântico observe a significativa ampliação de tessitura. Em cento e cinquenta anos ampliou-se quase duplicando o registro de uma obra musical.

Oitava

Muitos dos instrumentos transpositores, transpõe escrita em relações de oitava, oriunda da historicidade dos instrumentos, e também da constituição de famílias temperadas de um mesmo instrumento. O saxofone, os trombones e as flautas, que em tamanhos diferentes atingem outras regiões, com escrita de altura idênticas, são exemplos da questão.

Como docente percebo que o assunto transposição demora um tanto para ser compreendido de fato. Não há problema. Esta publicação foi motivada pela dúvida de mais um leitor. Agradecemos!

Esclareceu? Compartillhe!

SHARE
Previous articleAs Características do Som e a Relação das Oitavas
Next articleNova Unidade Souza Lima Paraíso – Confira!
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.