Qual idade mínima para tocar um instrumento musical?

qual idade mínima para tocar um instrumento

Vale ressaltar que é apenas uma orientação a idade mínima para tocar um instrumento musical.

Devemos considerar as variações de desenvolvimento motor, por exceções, facilidades, fisiologia e estatura como algo preponderante. E um fator que é ainda maior: o anseio.

Quanto realmente nós ansiamos aprender algo?

Se a vontade é realmente grande, até superamos os limites que o instrumento impõe. Avaliando essas questões preliminares, a idade mínima é uma orientação de contexto pedagógico, repletas de ressalvas e outras orientações.

Também já conversamos da idade mínima para tocar um instrumento musical em dois outros artigos:

Qual a idade certa para iniciar um curso de música?

Musicalização Infantil ou aula de Instrumento para crianças?

Segue a listagem em um plano geral:

Flauta Doce a partir dos cinco anos.

A guitarra e o contrabaixo em torno de dez anos dependendo da fisiologia da criança que deve ser avaliada por um educador. Contrabaixo aos doze anos é ideal.

O violão (com instrumento adaptado), o piano e o violino (com instrumento adaptado) a partir dos cinco anos.

Os instrumentos de sopro – flauta e saxofone a partir de dez anos.

Trombone e trompete a partir dos doze anos.

Acordeom a partir dos doze anos – ao modelo de 80 baixos, por ser um instrumento muito pesado. Se utilizar um acordeom com um número menor de baixos, oito anos.

Percussão a partir dos cinco anos.

Canto o ideal é o a seguir da adolescência, pois a voz estudada por técnica necessita que o aparelho vocal esteja consolidado, o que demora um pouco mais. O canto pode ser trabalhado como objeto de musicalização, como no estudo da afinação, por exemplo. Do repertório. Algo leve. Se for assim a partir dos cinco anos.

Bateria a partir dos oito anos.

Conclusão

Vale considerar que essas informações são de avaliação pedagógica, extraídas na experiência de nove anos de coordenação observando alunos em suas experiências pessoais da prática do instrumento musical.

As observações justificam as variações e amplifica uma questão: procure avaliação profissional. Agende com um coordenador pedagógico, e reflita sobre o momento de aprendizagem. A frustração pode ser grande em um sonho tão profundo que é de tocar um instrumento.

#VemProSouzaLima

SHARE
Previous articleQuero Ser Músico Entrevista: Paulo Serau
Next articleUma breve história do Clarinete e Flauta Transversal
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. Coordena as unidades Moema e Alphaville desde 2010. João Marcondes também atua na instituição em tarefas administrativas, é assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. É autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Seus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. É diretor e fundador da gravadora BAC Discos! www.bacdiscos.com/