Qual a importância do músico construir uma identidade?

Qual a importância do músico construir uma identidade?

Qual a importância do músico construir uma identidade?

Construir valores que culminem em uma identidade própria é um desafio interessante e importante para o músico.

Em quaisquer áreas de atuação do músico profissional constituir identidade é um desafio. Como compositor dados os elementos estéticos e valores técnicos. Apropriações, e tudo que envolve a prática composicional realizada na história da música.

Como educador por-, abordagem, conteúdo e linha pedagógica em que se pode desenvolver sua identidade, que é nada mais que uma linha de pensamento que encaminhe seus estudantes levando a um ciclo de indicações bibliográficas e resultados.

Em todas as áreas que podemos ser atuantes como músicos profissionais a identidade é importante. Eu particularmente venho procurando em tudo que eu faço me consolidar a partir de quem sou.

Como gostaria de ser lembrado em sua atuação como músico profissional?

Tratamos o assunto quanto a questão da apresentação, mas quando avaliamos o que realizamos artisticamente?

Um vibrato como o da guitarra de B.B King? O timbre de um instrumentista? O abandono das notas quanto afinação em um final de frase para um cantor? Uma instrumentação? Sim, todas essas ações podem consolidar a ideia central em que se procura sua identidade artística.

Como consolidar uma forma de identidade em que uma simples audição remeta imediatamente a quem somos?

Claro, podemos considerar uma preocupação artística a priori.

Fato que não descarta o índice de trabalhos relacionados que recebemos como músicos profissionais. Aqueles que acontecem mediante indicação. Um contratante que nos indica para outro, um aluno, um produtor, simplesmente por que deixamos uma marca. Uma boa imagem profissional. Uma excelente impressão. Ou apenas algo exclusivo que realizamos?

Qual é a marca que define sua identidade?

Trabalhar com o que nos identifica é o ponto futuro, que atingimos após solucionarmos algumas dezenas de valores primários.

Até para construir nossa identidade precisamos conhecer a identidade alheia profundamente. Conhecimento. Principalmente para que não nos enganemos com uma falsa sensação resolutiva de identidade.

Se sabemos quem é o outro, saberemos melhor tratar quem somos.

Vale avaliar que o caminho para construir algo que nos diferencie é o conhecimento. Como somos perante a música? Quem somos perante a atividade do músico profissional?

Respostas que o tempo nos traz apenas quando nos preocupamos com a procura por algo que marque quem somos.

Identidade também está relacionada ao aprofundamento. Quanto mais atingimos especialidade sobre determinado assunto, mais identificável seremos perante um coletivo.

Já leu as outras dicas?

Em uma delas falamos sobre visual, e ali também estava a coincidência sobre identidade, por exemplo, com um guitarrista norte-americano que se vestia de verde, e associou ao seu nome.

Alguns guitarristas tem seus modelos próprios de instrumento, contrabaixistas também. E como ponto crucial, ter identidade pode ser com que você seja lembrado.

Elementos do arranjo e produção, no meu caso em particular, estão presentes para consolidar a identidade que planejei, para que no futuro seja possível, por exemplo, ouvir um arranjo e identificar como produzido por mim.

Em música pode ser um acorde, um elemento, um tipo de introdução ou solo. Um ligado característico ou um arraste, portamento ou glisando.

Que cursos desenvolvem a identidade? 

Infelizmente nenhum praticamente. Eu, por exemplo, encontro professores preocupados em ensinar harmonia, arpejos e arpejos, escalas e mais escalas, no estudo do violão ou da guitarra, e não os vejo discutindo como se comportar quanto ao timbre – que talvez seja o elemento mais crucial do desenvolvimento da identidade.

Quem somos perante a música pode estar até mesmo em um timbre feio, e se esse timbre feito se constrói como argumento pode ser nosso diferencial.

Bonito é ser notado de fato como uma contribuição artística. Qual a importância do músico construir uma identidade? Já sabemos.

#VemProSouzaLima

 

 

SHARE
Previous articleComo organizar um fonograma quanto a parte artística?
Next articleÉ importante para o músico estudar arranjo?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. Coordena as unidades Moema e Alphaville desde 2010. João Marcondes também atua na instituição em tarefas administrativas, é assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. É autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Seus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. É diretor e fundador da gravadora BAC Discos! www.bacdiscos.com/