Qual a idade ideal para iniciar um curso de música?

idade ideal

Qual a idade ideal para iniciar um curso de música?

Os benefícios do estudo da música são maiores do que idade, tempo, experiência, momento ou condição humana. O estudo da música é benéfico por toda vida conservando pouquíssimas restrições.

Essas restrições quase sempre são questões fisiológicas envoltas na prática musical mal desenvolvida e um pouco pelo limite etário para iniciar o estudo de alguns instrumentos. Vamos para algumas considerações?

Idade!

Uma criança de cinco anos pode conseguir tocar bateria, por exemplo, mas será uma das únicas. Uma em cada cem crianças consegue tocar bateria pelas questões e controles necessários da fisiologia. O instrumento anteposto a musculatura peculiar da prática específica ao baterista pode prejudicar o desenvolvimento da criança.

Vale observar que lidar com o desejo individual, um sonho, é algo paradoxal e necessita atenção e cuidado. Tocar um instrumento é um desejo profundo.

Vale se frustrar ou desenvolver trauma físico ou psicológico para atender em uma idade inadequada o aprendizado de um instrumento musical?

Pois é. A bateria pode ser iniciada a partir de oito anos de idade e ampliando substancialmente o desenvolvimento.

A guitarra e o contrabaixo, por serem instrumentos pesados, em torno de 10 anos dependendo da fisiologia da criança que deve ser avaliada por um educador.

O violão a partir dos 5 anos, desde que na medida proporcional ao aluno. O piano 5 anos. O violino 5 anos. Os instrumentos de sopro – flauta, saxofone, trompete, a partir de 10 anos. Trombone a partir de 12 anos.

A guitarra talvez seja das grandes questões do aprendizado infantil, a priori de maior procura.

Ao contrário dos instrumentos musicais anteriores ao século XX, que foram concebidos e desenvolvidos respeitando questões ergonômicas do corpo humano, a guitarra foi concebida atendendo preceitos estético-visuais. Não se adapta facilmente ao corpo humano.

O violão, como citado, possui tamanhos para cada faixa etária (violão meio, violão três quartos, violão padrão) que atendem a demanda fisiológica. Reforçando que ao contrário da guitarra, o violão teve sua construção baseada na adequação plena ao corpo humano.

“Mas há guitarras feitas para criança, correto?”

Sim, são guitarras de menor proporção, mas que ergonomicamente continuam sem se adequar a fisiologia humana.

E quanto ao limite etário para um adulto?

“Tenho 50 anos, sempre quis tocar saxofone, sou muito velho já”? – Pergunta de um leitor.

Não há limite etário máximo para a prática de um instrumento.

Um adulto pode ter desenvolvido ao longo da vida uma coordenação motora para o estudo da música mesmo sem possuir consciência dela, e com dedicação ao instrumento adaptará sua motricidade a execução necessária para desenvolver-se como instrumentista.

A construção das sinapses é contínua na vida humana. E se há diferença no aprendizado em determinada faixa etária, esta ocorre por uma criança possuir mais tempo ocioso, menos responsabilidades cotidianas, e direcionamento cobrado e acompanhado dos pais ou responsáveis.

O que vale ao adulto é adequar a agenda para propiciar a inclusão do estudo em sua rotina. Música é repetição, não há como negar esse preceito.

“E a coordenação motora ainda se desenvolve?”

Sim, sem dúvida. Claro que algumas pessoas possuem melhores condições para determinada coordenação. Mas veja bem, estudar música é mais importante que estudar um instrumento específico?

Se a resposta for sim, um adulto que tenha mais facilidade com a coordenação motora grossa e quer tocar um instrumento de sopro pode optar por um trombone ao invés de um saxofone. E vice-versa. Ou se avaliar a capacidade de emissão e fluxo de ar, se sua capacidade é menor o trombone precisará de mais intensidade, daí pode-se partir a outro instrumento, como a flauta transversal.

Vale orientação! Ou…

A avaliação de um bom profissional para cada caso em especial é um percurso válido. E divertir-se com o estudo da música sem limitações.

Todo trabalho musical realizado colhe-se frutos de médio a longo prazo. Nem sempre se observa resultados a curto prazo, embora em uma progressão metodológica vê-se pequenos avanços semanalmente.

Precisamos de um caminho guiado. De um bom espaço de estudo. De um instrumento que atenda nossa especificidade. E de dedicação.

A força de vontade contribui para romper barreiras. Aqui no BLOG temos muito mais dicas de estudo! Vamos lá? Que agora sabemos um pouco mais sobre a idade ideal para iniciar um curso de música!

Artigo publicado em 30 de outubro de 2017, atualizado em em 12 de junho de 2018. Revisado e ampliado em 13 de janeiro de 2020.

 

SHARE
Previous articleMusicalização infantil ou aula de instrumento para criança?
Next articleAtualização
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville e Ribeirão Preto. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas, é assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music.