Organizando a Orquestra Sinfônica – infográfico

orquestra sinfonica

Existe uma dúvida comum entre os músicos profissionais e estudantes/apreciadores de música: qual é a organização de uma orquestra sinfônica? Para responder a esta dúvida, criamos um infográfico completo, disponível em nosso blog, mas que também é comercializado de maneira impressa.

A Orquestra Sinfônica é sem dúvida uma das maravilhas da humanidade.

Um passo perfeito entre a organização estilística e o fazer artístico musical. Na Orquestra Sinfônica mora a perfeição do equilíbrio dos instrumentos ocidentais. Todos acústicos! E tão bem relacionados!

Claro que a orquestração – ato de compor ou adaptar uma melodia para uma orquestra – demorou duas centenas de anos para se estabelecer. Das orquestras barrocas provindas de contínuo – um instrumento que reduzia as vozes da orquestra, como o que era feito no coro renascentista, até chegarmos a orquestra romântica muito se desenvolveu.

Um agrupamento vivo! Onde as vozes se entrelaçam! Onde as famílias convergem! Onde há perguntas e respostas! Onde coexistem por um valor maior!

Há na orquestra sinfônica (romântica) famílias das madeiras, dos metais, das cordas friccionadas – em maioria, a percussão com e sem altura definida. O solista que pode ser qualquer um nos concertos solo, inclusive instrumentos que não compõe originalmente a orquestra.

Conheça a organização de uma orquestra sinfônica por que ela faz parte do fazer musical ocidental

Você já assistiu uma orquestra sinfônica?

Ouvir não é o bastante. A música erudita está diretamente atrelada a visualização. Assim como o jazz, talvez, guardadas as devidas proporções…

É uma impressão interessante ouvir a gravação histórica como o disco Kind of Blue de Miles Davis, mas imagine presenciar algo como essa gravação?

Sem sombra de dúvidas algumas músicas nos trazem mais que uma experiência auditiva.

Poderia até dizer que presenciar uma orquestra sinfônica na sala São Paulo é uma imersão para o templo da música. Onde o cheiro importa. Onde o olhar importa.

Vamos conhecer as características desse agrupamento nesse infográfico que preparamos especialmente para você.

 

orquestra sinfônica infográfico

A música para Orquestra tem como principais referências composicionais:

Brasileiras: Heitor Villa-Lobos (1887 – 1949), Camargo-Guarnieri (1907 – 1993), João de Souza Lima (1898 – 1982), Alberto Nepomuceno (1864 – 1920), Edmundo Villani-Cortes (1930).

Internacionais: Hector Berlioz (1803 – 1869), Claude Debussy (1862 – 1918), Ludwig van Beethoven (1770-1827), Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), Igor Stravinsky (1882-1971), Pyotr Ilyich Tchaikovsky (1840-1893).

Podemos afirmar alguns desses personagens como fundamentais para consolidação e transformação da Orquestra:

Haydn e Mozart para a música clássica. Beethoven na transposição entre o período clássico e romântico, em suas próprias sinfonias. Berlioz como o compositor das dinâmicas extremas, explorando profundamente os recursos da orquestra. Debussy pela abordagem harmônica. Stravinsky pela abordagem rítmica.

Observe em cada período sua orquestra, verifique os instrumentos, timbres, e formas de agrupar ou realizar os instrumentos pela orquestração.

Orquestra Barroca

Orquestra Clássica

Orquestra Romântica

Cresce em número de instrumentos. Em composição de arranjo. Em dinâmica. Em tessitura. Do Barroco ao Romantismo.

Conteúdo e texto de João Marcondes para infográfico de Jean Forrer.

Opinião pessoal: Compor música para orquestra está entre os fazeres mais belos.

Conhecer os agrupamentos internos, os timbres que reconhecidamente se conectam. Historicamente compuseram melodias e seções. Transpuseram claves e desenvolvimentos. Compreender então a habilidade que alguns instrumentos possuem de se juntar levando a um timbre composto, diferente do que seria individualmente o instrumento como solista, ou participe individualmente de um trecho de uma peça composta para orquestra.

Orquestrar é como elevar para um romance um dito popular. Ou é como fazer de uma foto um filme!

As ações atribuídas aos músicos participantes do processo criativo e pratico de uma Orquestra envolvem muito estudo.

Todos os violinistas participantes de uma orquestra estudaram para ser solistas. Possuem o refinamento técnico que os permitiria solar em um conjunto. Serem por si protagonistas.

Ao maestro, que se espera o conhecimento e aprofundamento para guiar tantos protagonistas, na rigidez e no acalanto, de fato providenciando a liderança, como de uma nação diversificada – onde todos possuem interesses individuais mas precisam ser conduzidos por um bem comum.

Vale o estudo! E primeiro! Para conhecer a Orquestra é preciso ouvi-la!

#VemProSouzaLima

Atualizado em 11 de outubro de 2018.

 

SHARE
Previous articleHistória da Música – Vanguardas Século XX
Next articleHistória da Música – Compositores Eruditos Brasileiros
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.