O que é hemíola? Mais um termo musical?

hemiola

O que é hemíola? Mais um termo musical?

Responder a partir de algo que existe, algo que ouvimos por aí nos intervalos comerciais, ou nos canais de TV por assinatura, parece a melhor ideia para responder algo típico da prática composicional. Que tal utilizar uma das séries mais vistas da década?

The Walking Dead.

Hemíola então é o nome de uma zumbi vítima antropológica ou antropofágica da série TWD? Não! Brincadeira.

Hemíola é um termo que designa sobreposição métrica, onde na existência de uma pulsação recebe um fraseado de origem diferente. Uma contraposição para uma proposição do pulso constante, ou de outra sobreposição.

A cada dois compassos ternários – totalizando seis tempos, se estabelece uma sobreposição sequencial proporcional de pulsos binários, por exemplo. Observe a partitura auxiliar apresenta um pulso ternário, acima uma hemíola.

joão marcondes

Esse movimento rítmico entre a proporção binária e ternária, é a prática que deu origem a sensação proposta por uma hemíola, que consolidou-se até mesmo como técnica composicional.

Consegue perceber algo diferente na abertura de The Walking Dead?

Há uma sobreposição na trilha de abertura de Walking Dead onde a métrica quaternária coexiste com uma sensação dada pela primeira subdivisão propõe uma outra partícula considerada hemíola. Nesse caso talvez a hemíola mais conhecida entre as trilhas sonoras e aberturas do entretenimento.

Vamos avaliar?

Primeiramente localize a pulsação central. Observe no vídeo por volta de trinta segundos o regente do agrupamento de cordas estabelecendo a métrica quaternária.

Internamente, no entanto, há uma pulsação articulada nas frases melódicas em contagem de subdivisão 3, 3 e 2 – ternária, ternária e binária.

Agora reveja o vídeo e observe a arcada do violino marcando esse pulso sobreposto que concede a sensação da hemíola, em movimento para fora do corpo nos violoncelos e para dentro nos violinos e violas.

Observe na partitura:

Procure contar a pulsação sobreposta na subdivisão – um dois três, um dois três, um dois.

Um grande ostinato!

Poderia então afirmar que se trata de uma hemíola?

Sim. Apurando a definição da terminologia, se há uma segunda sensação métrica desenvolvida na obra estabelecemos a hemíola. Mesmo que embora tradicionalmente a terminologia designe a percepção binária sobreposta ao pulso ternário, ou em combinação proporcional, expandi-se a ideia técnica que pode culminar em polimetria – assunto para outro artigo.

Por exemplo: em três compassos quaternários, que totalizam doze pulsos constantes, receber quatro combinações ternárias. Proporção perfeita e em unidades de tempo.

No caso da abertura de The Walking Dead há dois conjuntos ternários em primeira subdivisão, e um conjunto binário também em primeira subdivisão.

Também usufruímos do termo sobreposição métrica – que condiz ou complementa as variações cabíveis e encontradas para as subdivisões. É um elemento típico do jazz, fusion, e até mesmo da música brasileira popular. Por vezes sequer notamos.

Ocorre que o padrão de repetição atenta a nossa percepção, compreendemos, e nos habituamos. Um leigo consegue perceber essa dinâmica de sobreposição, que suscita curiosidade por se tratar de uma série de suspense – a introdução instiga, obra do jovem compositor norte-americano Bear McCreary.

Assim hemíola é uma sobreposição métrica primária, realizada apenas com pulsos que atingem proporcionalidade. A sobreposição métrica combina diversas formas – relacionadas a subdivisão – primeira, segunda e até terceira, e outras sensações alongadas relacionadas as quiálteras.

Reflita sobre essa fantástica abertura, e renove a forma de ouvir música.

#VemProSouzaLima

ONDE ESTUDAR?

No meu curso de Composição Instrumental ministrado na unidade Moema, do Souza Lima, e agora a distância pelas questões da pandemia, e a herança que nos deixará.

Nesse programa tratamos de técnicas composicionais, e entre elas está o desenvolvimento de hemíolas com intuito de constituir sensações musicais, típicas da formação do compositor.

Obtenha mais informações por e-mail, não tenho divulgado abertamente esse curso: joao.marcondes@souzalima.com.br

SHARE
Previous articleO que são instrumentos aerofones para a organologia?
Next articleQual a importância de estudar Solfejo Melódico?
Primeiro me segue no instagram: joaomarcondesoficial! Eu sou o Professor João Marcondes! Sou coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Também coordeno programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. E coordeno as unidades Moema e Alphaville desde 2010. Também atuo na instituição em tarefas administrativas, como assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. Sou autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Meus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. Sou educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. É diretor e fundador da gravadora BAC Discos! www.bacdiscos.com/ Segue no instagram; https://www.instagram.com/joaomarcondesoficial/