O que é contraponto?

contraponto

O que é contraponto?

Imagina ponto como uma nota, que chamamos em música como cantus firmus, uma melodia original, então contraponto é uma melodia, que seguindo parâmetros técnicos, contrapõe a melodia original, o “ponto”.

Por gerar uma nova melodia, igualmente independente, o contraponto consolida uma estratégia musical conhecida como polifonia. A música polifônica é aquela que possui diversas melodias independentes, que convergem, divergem, sem que se estabeleça protagonismo duradouro em uma única voz.

Uma melodia única de protagonismo perante uma camada harmônica caracteriza a estratégia musical conhecida como homofônica.

O que conhecemos como contraponto se estabelece na configuração entre duas vozes – cantus firmus e contraponto, podendo constituir até seis vozes independentes contrapontísticas.

O embrião da música contrapontística está no período medieval, embora as estratégias que são estudadas até os dias de hoje em classes de música nas faculdades e em conservatórios, combinam teorias renascentistas e barrocas.

Alguns pesquisadores consideram que a arte contrapontística atingiu apogeu em J. S. Bach! No entanto, diversos outros compositores são notórios na aplicação. Para minha apreciação também valorizo a obra de Giovanni Pierluigi da Palestrina – compositor renascentista, embora Bach por estabelecer além dos corais obras instrumentais proporcione mais desafios aos meus ouvidos.

Fato, o contraponto inicia como uma técnica para a música vocal. Quatro vozes, duas masculinas e duas femininas, fazem parte da construção musical que culminou na estratégia dos acordes- o coro ou coral. Curiosidade marcante é que os compositores abusaram da técnica contrapontística tanto, que procuraram até mesmo realizar obras com seis grupos de cantores, seis vozes diferentes.

Bach sintetizou as estruturas da técnica, preservando a quatro vozes, mas explorando em suas obras novas regiões das tonalidades. Sua morte é considerada um marco da música barroca, Bach manteve em sua construção musical a polifonia, no máximo suavizando a sensação polifônica, sem nunca romper ou aderir a homofonia.

Barroco é excesso, é ação combinatório contínua, novidade a cada audição ou visualização, barroco é algo superlativo!

Este artigo tende a crescer em argumentos e exemplos! Siga o BLOG!

#VemProSouzaLima

SHARE
Previous articleQuero Ser Músico Arranjador
Next articleO que é organologia?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville e Ribeirão Preto. Também é idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes também atua na instituição em tarefas administrativas, é assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. É autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music.