O que é CD?

Um objeto não muito charmoso. Fato! O compact disc surgiu como a opção digital que ofereceria melhor resolução, melhor relação sinal (som do fonograma) ruído e otimizaria o processo de audição.

Os amantes do LP dirão que não.

A utilização do compact disc realmente alavancou o comércio da Música, otimizou o contato e portabilidade. Tornou o disco compacto e digital algo popular.

Praticidade que refletiu inclusive no mercado da Música independente. Computadores que copiavam discos, programas que quebravam o guardião de cópia – até que as gravadoras desistissem do recurso.

O compact disc na verdade nunca teve o mesmo charme que o LP e a fita cassete –  com mil histórias. O máximo ao cotidiano foi para enfeitar os aros das bicicletas e se divertor com a coloração refletida – nada mais que isso.

Vindo do laser disc, um disco na proporção do vinil, o cd lançado no final da década de 1980 popularizou-se no Brasil na metade da década seguinte. E com ele o disc-man, que proporia substituir o walkman e a fita cassete. Mas sem rádio FM?

Fizemos coletâneas sim é verdade. Mas não com o mesmo glamour e ousadia. A internet chegara e já pipocavam os primeiros áudios digitais na década de 2000.

O MP3 veio realmente para implodir o mercado fonográfico. E o cd foi seu primeiro portador nas versões virgens – de arquivo ilimitado praticamente ou em 80 minutos de áudio.

O CD ainda matou o charme do lado A e lado B do LP, a escolha da gravadora, os sucessos e o que o artista procurava representar, respectivamente.

Na lembrança do CD estão os intermináveis relançamentos, obras completas dos artistas referenciais.

Mas mesmo fugido de proporção agradável, áurea, com aquela caixa plástica quebrável no primeiro toque, o cd teve lá seu momento de glória.

Auspicioso, contribuiu com a sustentação do mercado independente. Quem não gostaria de ter um cd produzido na zona franca de Manaus?

Os independentes gostavam desse charme.

Para tanto: será que o cd retorna de forma diferenciada como o LP ou seu fim inglório chegou chegando? E será ítem desses descartáveis?

Como foi seu primeiro contato com cd?

Eu lembro do meu, um cd do Nirvana, Nevermind. E um do Chico Buarque.

SHARE
Previous articleOrganologia – Aerofones
Next articleHemíola na abertura de The Walking Dead?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.