Música em compasso quaternário!

A música de métrica quaternária, ou a métrica quaternária, organiza o pulso constante em sequências de quatro pulsos. Mas qual é a música brasileira em compasso quaternário que já conhecemos?

É válido lembrar que a listagem a seguir está baseada na forma em que encontramos a maioria das partituras dos respectivos gêneros, e por conseguinte, do próprio repertório.

A forma de escrita, ou a escolha de uma medida métrica, se define por tradição ou pela necessidade baseada no que sentimos ao grafar uma música, na avaliação de um determinado ostinato.

Ouvi de um amigo estrangeiro, certa vez, que sentia o samba em quatro por conta do ostinato do Tamborim. Faz sentido. Minha resposta foi em tom de brincadeira: “É que você nunca viu alguém dançar samba, ou também nunca dançou”. Procurei argumentando realçar a importância do surdo, e da marcação de ênfase binária.

Claro, aí estão dois ostinatos importantes. E sem considerar a incidência harmônica, o que conhecemos como ritmo harmônico.

Bom, o ponto de vista é interessante, mas os ritmos e gêneros da música brasileira que possuem métrica quaternária possuem tradições, vamos conhecê-las nessa série de publicações. Que já teve o binário e o ternário.

Alguns gêneros quaternários são: o Ijexá, a Marcha (rancho, marchinha), o Frevo, a Toada e o Arrasta-pé.

Vamos conhecer algumas músicas brasileiras em compasso quaternário?

Ijexá, na belíssima canção É D’Oxum na interpretação de Gal Costa.

Sina, Djavan, em um ijexá mais estilizado.

Cordão da Saideira, Marcha ou Frevo-Canção, Edu Lobo.

Noite dos mascarados, marcha, Chico Buarque.

Correnteza, Tom Jobim, Toada, na interpretação de Djavan.

Não existe pecado ao Sul do Equador, Chico Buarque. Frevo.

Vassourinhas, Frevo instrumental.

O Rancho da Goiabada, João Bosco e Aldir Blanc. Marcha

Conjunto de Arrasta-pé ou Quadrilha de Luiz Gonzaga.

Frevo Mulher, de Zé Ramalho, que está mais para um excelente Arrasta-pé!

Procure reconhecer o pulso constante! A seguir identificar a métrica quaternária!

#VemProSouzaLima

 

SHARE
Previous articleQuero ser músico entrevista: Óscar Stagnaro
Next articleUma breve história das vozes femininas no Brasil
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.