Fazer ou não fazer faculdade de música?

facul

Fazer ou não fazer faculdade de música?

Perfeito! Vamos lá! Primeiramente é importante explicar que eu sou formado técnico em música, também sou graduado na área, e possuo especialização em docência de música brasileira e mestrado em educação, arte e história da cultura, estudando música.

O que vou tratar nesta publicação mescla experiências pessoais como estudante e como educador especializado em preparação para carreira do músico profissional.

Nesta publicação tentarei elucidar questões a partir de perguntas que você deveria se fazer.

1| Você pretende seguir carreira acadêmica?

Sim, então a faculdade em nível bacharelado e licenciatura em música são imprescindíveis.

Não, então você pode ser tornar profissional em música por outros percursos, como um curso técnico e até mesmo cursos livres. A diferença é que um curso técnico ou uma faculdade terão o passo a passo organizado para você. E curso livre depende da sua organização ou de alguém que te oriente.

É possível, e muito bem, ser profissional em música sem passar por uma faculdade. Eu mesmo presenciei formado em faculdade perdido no mercado de trabalho, sem noção nenhuma, o que é triste pelo tempo e dinheiro investidos. Técnico vai direto ao ponto, profissionaliza de maneira mais adequada, ou pelo menos este é seu objetivo.

2| Você tem tempo e pode se manter sem trabalhar?

Uma faculdade demanda tempo, se tiver que trabalhar em trabalhos habituais de oito horas, você vai ocupar mais tempo com as matérias da faculdade. Faz sentido? Eu parei uma segunda faculdade por isso, precisava trabalhar, e a faculdade ocupava justamente o tempo que podia estar com instrumento na mão. Muitas matérias da faculdade me faziam sentir perder tempo, e decidi parar.

Se a resposta para pergunta é sim, mergulhe e faça as quatro horas por dia da faculdade, e use o resto do dia para estudar muito seu instrumento ou composição, ou regência.

Se a resposta for não, pensar como na resposta acima faz mais sentido, parece melhor fazer cursos que ocupem menos tempo e te forneçam base como um curso técnico, que ocupa um terço do tempo da faculdade.

Muitas faculdades são excessivamente teóricas quando deveriam ser práticas como parecem prometer. Outras querem trabalhar um único gênero empobrecendo e não profissionalizando de fato o aluno para a indústria fonográfica – que é o mercado mais importante para se atuar.

Network? A faculdade parece promissora, mas a vida também é. E isso é algo que venho mudando.

Espero ter ajudado.

SHARE
Previous articlePreciso ter faculdade para ser músico?
Next articleO ambiente musical é machista?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. Coordena as unidades Moema e Alphaville desde 2010. João Marcondes também atua na instituição em tarefas administrativas, é assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. É autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Seus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. É diretor e fundador da gravadora BAC Discos! www.bacdiscos.com/