Quero ser Musicista Entrevista: Sara Milan

A série Quero ser Musicista apresenta a entrevista da musicista boliviana Sara Milan. Diretora e fundadora do Conservatório Milan, que faz parte da história do CLAEM – Congresso Latino-Americano de Escolas de Música, e da ALAEMUS – Associação Latino-Americana de Escolas de Música, desde o início.

Sara Milan também é uma importante concertista de violão erudito. Trazemos do cenário internacional a oportunidade de conhecermos mais da história dessa ilustre musicista e de sua trajetória na Bolívia, seu país de origem, como diretora deste Conservatório.

Vale ressaltar que guitarra é a nomenclatura que se dá ao violão em países de língua espanhola. Como entrevistador me sinto realizado. Boa leitura!

Professor João Marcondes

ENTREVISTA #5

Nome: Sara Milan Barron

Cidade natal: Cochabamba, Bolívia.

Data de nascimento: 30 de maio de 1952

Instrumento: Violão

Formação acadêmica: 1996 – Licenciatura em Administração Educacional pela  Universidade latino-americana aberta privada (UPAL) – Cochabamba – Bolívia

1996 – Criei o Conservatório profissional de Música Milan de Cochabamba, sendo a diretora geral do mesmo até o momento.

1987 – Fundei a Academia de Guitarra Milan com seu pai Don David Milan, sendo a diretora geral do mesmo.

1978 – Técnico em Turismo no Instituto de Turismo Boliviano. – Cochabamba, Bolívia

1974 – Professora de línguas: Inglês-francês.

1970 – Bacharel em Humanidades pelo Instituto Eduardo Laredo – Cochabamba-Bolívia

1970 – Bacharel em Música com especialidade em piano e instrumento complementar violoncelo. Do Instituto Eduardo Laredo – Cochabamba-Bolívia

Ao longo de minha carreira atuei também como professora de inglês e francês em unidades educacionais estaduais e privadas. Lecionei e coordenei o Instituto Eduardo Laredo, no colégio Anglo American, na Academia de Música Man Grass e na escola Franklin Anaya.

Formação livre: Em 1965 comecei estudos de violão com meu primeiro professor, meu pai Don David Milan.

Em 1971 realizei cursos de formação com o professor espanhol Pedro García na cidade de la paz, Bolívia.

Contribuíram para a minha formação artística: o californiano Erick Foster com quem apresentei os recitais de guitarra Duo.  Na Virginia U.S.A. com Dave Slater, Lisa Hurlong, Christopher Laufgling, o belga Sylvie Genoesee o alemão Hucky Heikelman, com os argentinos Eduardo Frasone, Felix Arguelles. Interpretação e harmonia com o mestre brasileiro Leonardo de Sá, com os mestres de Cuba Jesús Ortega e Gerardo Perez, os Japonês Kazutoyo Ito e Kentaro Taka, e com os bolivianos Javier Calderón, Günter Vilar, Piraí Vaca, Luis Valdez, Fernando Arduz e Humberto pol.

1)Em que ano você começou sua carreira como músico profissional?

Em 1975 como solista e em duetos e trios com meu pai e outros guitarristas. Em 1988 participei e dirigi a Orquestra de Violão do Conservatório de Música Milan.

2) Em quais áreas você age ou atua diretamente como músico profissional? 

Área clássica e ensino, principalmente.

3) Como foi a entrada de sua instituição para a CLAEM e ALAEMUS?

O Conservatório sempre apontou para a excelência profissional de seus alunos e estava ciente de que para alcançar essa excelência precisava projetar seus horizontes para além de nossas fronteiras. É assim que em 27 de julho de 2007, em São Paulo Brasil, o acordo inter-institucional foi assinado entre o Conservatório profissional de Música Milan e o Conservatório e Faculdade de Música Souza Lima do Brasil, o diretor Antônio Mario mostrou a melhor predisposição de colaboração e apoio à nossa instituição concedendo bolsas para os nossos melhores alunos.

Em 2010, recebemos um convite do Souza Lima para participar do 1º Congresso Latino-Americano de Escolas de Música (CLAEM), desde então participamos de todos os congressos.

Em 2012, o Conservatório Milan estava presente como um parceiro fundador da Associação Latino-americana de Escolas de Música “ALAEMUS”.

Desta forma, o Conservatório Milan não só tem uma presença a nível nacional mas internacional, participando ativamente todos os anos com estudantes talentosos neste evento acadêmico, juntamente com as melhores escolas públicas e privadas da América Latina.

4)Qual é a importância de uma iniciativa como esta para a instituição que representa? 

1- O vínculo acadêmico porque nos permite ver o nível de cada instituição, sendo um desafio que nos permitirá melhorar a qualidade acadêmica no processo ensino-aprendizagem de nossos alunos.

2- Construir novos espaços na produção cultural e artística de cada país.

3- Permite-nos estabelecer a presença da Bolívia em diferentes cenários internacionais através do Conservatório Profissional de Música Milan em Cochabamba.

4- CLAEM e ALAEMUS, contribuem para consolidar o principal objetivo da nossa instituição: contribuir para o nosso país – Bolívia, com profissionais de excelência na música.

5- O Conservatório abrange três áreas de ensino: área de música clássica-erudita, área de música folclórica-Etnomusicologia e pesquisa e área de música moderna-eletrônica-jazz.

É nessa área que o CLAEM e a ALAEMUS contribuem para nossa instituição, onde a interação, a socialização do conhecimento entre professores talentosos e estudantes de diferentes países da América Latina nas diferentes oficinas, conjuntos e eventos acadêmicos, expressam uma nova linguagem, dinâmica e excitante, alimentada por novos conhecimentos e experiências, contribuindo para a construção de uma nova geração de músicos profissionais.

5)Quando o CLAEM vai para a Bolívia?  E como poderia a ida do evento contribuir para sua instituição? 

Tinha sido pensado e falado no CLAEM anterior uma possibilidade que poderia ser em 2021. Mas, como instituição, antes disso, quero deixar algumas observações e que elas possam ser abordadas.

A presença do CLAEM na Bolívia, seria um evento de grande transcendência, pois seria a única dessa magnitude.  Contribuindo para a imagem do Conservatório não só mantido em seu bem alcançado com 31 anos de trabalho contínuo, mas categorizar ainda mais dentro dos níveis de educação como uma instituição eficiente, responsável, séria e comprometida com as crianças e jovens da Bolívia.

Perfeito, Dona Sara.

6) Hoje, qual é o foco central da sua escola em termos de formação?

O foco central do Conservatório de música Milan é contribuir para o país um inestimável recurso humano- os músicos profissionais, dando uma outra dinâmica para a profissão de músico, proporcionando ao aluno um nível mais científico e de respeito acadêmico, colocando especial  ênfase na educação musical nos níveis: inicial, básico, médio e superior.

Muito obrigado pela entrevista Sara. Me sinto orgulhoso e realizado de termos podido falar sobre seus projetos, liderança, e projeção artística.

O desafio e manutenção da educação no mundo contemporâneo é um desafio que temos em comum.

Até breve!

Entrevista realizada por e-mail em 22 de abril de 2019, em meio a semana do CLAEM X – Bogotá.

SHARE
Previous articleComo identificar meu nível no instrumento?
Next articleÉ fácil tocar escaleta?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.