É possível viver de música no Brasil?

É possível viver de música no brasil

É possível viver de música no Brasil?

Amigos, e amigas, caros leitores, e leitoras, sim, é possível viver de música no Brasil.

Atualmente a remuneração média do brasileiro está na casa dos dois mil reais. E mesmo estando em um momento de altas taxas de desemprego, viver de música ainda tem ocorrido com certo grau de segurança.

O que causa medo entre amigos e familiares de quem decide ter a música como carreira profissional é o completo desconhecimento da área. Nosso blog surgiu por este motivo, procure aqui dicas para o músico profissional, entrevistas com diferentes perfis de musicistas, e ainda a série Quero ser músico, tudo produzido para orientar as novas gerações.

Eu particularmente em alguns dos programas que coordeno como o Preparatório para Vestibular, procuro aproveitar algum tempo para orientação de carreira. Alardeando planejamento, desenvolvimento profissional, diversificação da atuação, reciclagem constante… São diversos os pontos de observação.

Viver de música no Brasil é algo possível e alcançável, mas…

1| É preciso disciplinar-se como um atleta. Se você quer ser instrumentista, haverá de passar horas e horas aprimorando os movimentos, cuidando da motricidade e da musculatura. E mesmo que você decida por algo menos fisiológico, como a composição e o arranjo, a disciplina é cerne ao desenvolvimento. Trabalhar quando há projetos eminentes tanto quanto criar para manter a prática criativa sob cuidados.

2| É preciso ter bons equipamentos, instrumentos, ou material de produção digital – gravadores, softwares, hardware. Lembre que a música está em tudo, até mesmo em uma cidade pequena há demanda para produção musical. Trilha sonora para um carro de som, ou rádio e televisão, são produtos semelhantes, musicais.

3| É preciso saber cobrar. Seu trabalho tem valor. Não toque de graça. Não dê aula de graça. Não produza trabalhos de graça. Mesmo um restaurante quando está começando não oferece banquete para apreciação. Pode até iniciar com um valor abaixo do mercado, mas com tempo equaliza as questões.

Uma das maiores dificuldades do músico profissionalizando-se é saber cobrar. Daí vem a pergunta: Mas fazer um trabalho sem cobrar então é errado? Temos que saber as lutas que vamos entrar. Se é para uma realização artística, acho válido. Se é para um projeto de outrem e publicitário, não acho, porque seu trabalho agregará valor ao produto do outro que ganhará com sua contribuição.

4| Quer ser músico, mas não quer dar aulas? Normal amigo. Embora sempre digo aqui que dar aula é parte do desenvolvimento do músico. Por que mais do que dar aulas básicas, dividimos experiências.

Eu, por exemplo, leciono dois cursos livres – Composição: Letra e Música | Arranjos para pequenos e médios agrupamentos, que estão plenamente associados ao meu trabalho profissional.

Talvez lecionar formação básica seja cansativo e depreciativo em uma visão preliminar, mas dividir o que aplica esteticamente e tecnicamente em seu dia a dia estético é bastante atrativo.

5| Chegamos em um ponto fundamental, para ser músico é preciso estudar. Não estou falando de graduação em música, formação acadêmica, que até aconselharia que fosse realizada. Estou dizendo que estudar é parte inerente do que desenvolvemos. É a semeadura para a colheita vindoura. É parte integrante do desenvolvimento sazonal das ações profissionais que exercemos.

Teremos altos e baixos na profissão. Mas manter e até ultrapassar a linha média de rendimento do brasileiro é um desafio bastante tranquilo, claro, se seguir alguns destes aconselhamentos que propus por aqui.

Espero ter auxiliado em seu desenvolvimento mais uma vez, e aproveite o BLOG Souza Lima! Um espaço de aprendizagem e muito desenvolvimento, assim como nossas unidades, escolas, graduação, métodos, pós-graduação…

Vamos lá! Vamos juntos! Que o conhecimento é um caminho sem volta!

#VemProSouzaLima

SHARE
Previous articleO que são inversões de acorde?
Next articleQuais equipamentos são necessários para ensaiar minha banda?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.