É importante para o músico estudar arranjo?

arranjo

É importante para o músico estudar arranjo?

O arranjo faz parte da prática e estudo do futuro músico profissional, tocando ou criando estudar as práticas do arranjador contribuem para o desenvolvimento pleno.

Por conviver e estar relacionado a questões interpretativas, por valores da técnica, da execução, da variação, da contextualização do instrumento, da leitura, compostos do fazer do músico profissional, o arranjo precisa ser estudado como diversificação da carreira profissional, mas para o instrumentista auxilia também em seu comportamento nos diferentes agrupamentos.

Possuir a capacidade de escrever um arranjo agrega ao plano de diversificação na atuação da carreira do músico profissional, e ao se inserir em um estudo de arranjo mudamos nossa forma de tocar ou de encarar nosso instrumento.

Assim como a composição, a prática do arranjo também está no campo da criação, e é algo que se adquire por experiência estética e técnica. Mediante então, estudo. Arranjo assim como composição se ensina.

Arranjo consiste em desenvolver elementos para consolidar uma variação ou adaptação de uma melodia ou obra alheia, primariamente, compondo novas características de estilo, forma e ou instrumentação para uma composição de outrem.

Instrumentista arranjador

Instrumentistas do violão, piano, acordeom, guitarra, que dividem função melódica e harmônica, precisam desenvolver a expertise específica do arranjo para seu próprio instrumento.

É comum em apresentações a requisição de um produtor para gerar uma introdução com material melódico e harmônico de uma obra. Algo então que será realizado com certo grau de improvisação. Por isso, para a prática do futuro músico profissional, vale incluir a ação na rotina de estudos do instrumentista.

Conhecimento organológico

Conhecer organologia é um parâmetro primordial ao estudo do arranjador.

Algumas instituições retiraram da grade curricular o estudo da organologia, substituindo imediatamente por instrumentação ou arranjo. Conhecer um instrumento é identificar sua família, timbre, e noções de escrita, para tal está a organologia. Criar sobre os instrumentos constitui outras necessidades de prática e estudo.

Estudar composição ajuda no arranjo, sem dúvidas, mas composição não é arranjo. Organologia, por sua vez, precisa ser obrigação do arranjador, trata-se de uma de suas mais importantes ferramentas.

Conhecer um instrumento é identificar sua função em um gênero e estilo musical, para que na prática do arranjador seja possível recondicionar, adaptar, ou seja, arranjar a estética de uma obra musical

Como estudar o arranjo?

Ouça fonogramas realizados na história de gênero, procure variações possíveis em regravações, outros arranjos.

Observe os desenvolvimentos que podem ocorrer em uma mesma música, gravada ao vivo ou em estúdio por overdubbing. Formas e execuções diversificadas. Transcreva ou assimile em um nível intenso. A experiência estética é parte fundamental para o aprimoramento da prática do arranjador.

Selecione uma obra ou canção, e analise ritmo, melodia e harmonia. Assimile. Parte da criação será interpretação da própria matriz.

Com o que atua o arranjador?

O arranjador atua com produção musical, direção musical no palco, trilhas sonoras, arranjando para uma orquestra, e diferentes agrupamentos.

Eu atuo como arranjador desde 2003. Vamos ouvir um arranjo, mas antes escutar a canção de maneira pura, sem intervenção do arranjador, parece uma maneira importante de verificar o que um arranjo é capaz.

Uma belíssima canção do compositor e violonista Tiê Alves, que tive o privilégio de arranjar para a cantora Daniella Alcarpe.

O arranjo transforma?

Escute o fonograma a seguir, e responda você mesmo!

Agora as técnicas de arranjo aplicadas no fonograma, que eu também sou produtor musical. Estou tocando violão e dirige a gravação como um todo. Os instrumentos são bandoneon, flauta transversal, violino, contrabaixo acústico.

Como estudar?

Vem pro Souza Lima, me escreva um e-mail, no curso técnico de produção musical nos dedicamos ao estudo do arranjo, e também na faculdade Souza Lima, veja que é importante para o músico estudar arranjo. Saiba mais!

 

 

 

SHARE
Previous articleQual a importância do músico construir uma identidade?
Next articleAinda vale discutir música erudita e popular?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. Coordena as unidades Moema e Alphaville desde 2010. João Marcondes também atua na instituição em tarefas administrativas, é assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. É autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Seus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. É diretor e fundador da gravadora BAC Discos! www.bacdiscos.com/