De onde vêm os acordes?

Os acordes são oriundos de escalas. Os acordes são compostos pela sobreposição de terças diatônicas. Ou seja, de terças que fazem parte do conjunto de uma escala.

Nesse momento falaremos da escala maior, embora em metodologias contemporâneas seja possível formar estruturas de acorde a partir do conjunto de qualquer escala.

Uma escala maior possui um padrão, então, é importante ressaltar que qualquer que seja a escala, o resultado dos acordes compostos sobre ela será o mesmo. A escala maior possui Tônica, 2ªM, 3ªM, 4ªJ, 5ªJ, 6ªM, 7ªM e 8ªJ.

João Marcondes

TRÍADES

Cada nota da escala será fundamental de um acorde. E assim, cada nota será terça ou quinta de um acorde, as notas se dividirão na composição de cada estrutura sob uma fundamental diferente.

O primeiro acorde sobre a escala de dó maior tem a fundamental dó, o segundo acorde tem a fundamental ré, o terceiro acorde tem a fundamental mi, o quarto acorde tem a fundamental fá, o quinto acorde tem a fundamental sol, o sexto acorde tem a fundamental lá, e o sétima acorde tem a fundamental si.

A composição de cada acorde segue a risca a escala em sobreposição de terças diatônicas, não há alturas proporcionais diferentes.

Observe a composição do acorde cujo dó é fundamental. Dó, mi e sol. Fundamental, terça e quinta respectivamente.

Fundamental e tônica são sinônimos?

Sim, para acorde particularmente prefiro fundamental, mas em muitos livros são utilizados como sinônimos.

Duas terças diatônicas sobrepostas formam tríades. O que concede sobre uma escala maior três espécies: tríade maior sob três fundamentais (I, IV e V), tríade menor em três fundamentais (II, III e VI) e tríade diminuta em apenas uma fundamental (VII).

Dó maior, ré menor, mi menor, fá maior, sol maior, lá menor e si diminuto, respectivamente.

A partir da escala de sol maior o resultado compõe outras tríades, mas as estruturas se conservam nos respectivos graus:

Sol maior, lá menor, si menor, dó maior, ré maior, mi menor, e fá sustenido diminuto, respectivamente.

OBSERVAÇÃO I: O resultado da estrutura é idêntico. É importante ao aluno pré-vestibular ter esse resultado memorizado. Então reforçando:

I, IV e V grau em uma escala maior, sempre será maior.

II, III e VI grau em uma escala maior, sempre será menor.

Enquanto o VII grau será diminuto.

OBSERVAÇÃO II: Não há tríade aumentada oriunda de uma escala maior. Obviamente, não quer dizer que não pode ser utilizada como recurso artístico em uma composição. Estamos tratando aqui da teoria e origem das estruturas.

TÉTRADES

A tétrade contempla uma nova sobreposição de terça diatônica sobre cada fundamental.

Seguindo o conceito de sobreposição de terças diatônicas, há apenas dois tipos de sétima disponível aos acordes oriundos de uma escala maior: a sétima maior, para o I e IV graus, e a sétima menor para o II, III, V, VI e VII graus.

OBSERVAÇÃO III: O resultado da estrutura das tétrades é idêntico a partir de qualquer escala maior. É fundamental ao aluno pré-vestibular ter esse resultado memorizado. Então reforçando:

I e IV grau: Tríade maior com sétima maior.

V grau: Tríade maior com sétima menor.

II, III e VI grau: Tríade menor com sétima menor.

VII grau: tríade diminuta com sétima menor; como terminologia, prefiro chama-la de acorde meio diminuto.

Sem sobreposição de terças?

No V grau, ao vestibular de música, é necessário, conhecer o único acorde que quebra o conceito de sobreposição de terças. O Acorde conhecido como suspenso, antecede normalmente o V grau com sétima menor, atrasando o movimento do trítono.

Quais acordes o vestibulando precisa compreender em uma estrutura de escala maior? Curso de música popular?

São sete tríades, e oito tétrades.

Isso é campo harmônico?

Sim! Campo harmônico é uma terminologia que atende a formação dos acordes a partir de uma escala diatônica. E as relações que terão a partir de suas funções. Mas isso é assunto pra outra publicação.

Exercícios:

  1. Escolha uma escala maior.
  2. Componha as tríades. Analise sua composição. Dúvidas? Leia a publicação sobre tríades. Escreve o nome da tríade por extenso correspondente a cada grau.
  3. Componha as tétrades. Analise sua composição. Dúvidas? Leia a publicação sobre tétrades. Escreva o nome da tétrade por extenso correspondente a cada grau.
  4. Agora cifre mediante conhecimento da música popular. Dúvidas? Leia a publicação sobre cifras.
SHARE
Previous articleComo desenvolver a percepção de modos
Next articleO que é Posição Aberta e Posição Fechada quanto a acorde?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.