Como montar um coro amador em 7 passos

como montar um coral

Primeiramente, você precisa de ao menos uma pessoa versada em música para realizar a liderança do grupo, ser o regente, condutor. Essa pessoa precisa saber ler partitura – quanto a altura e duração primordialmente.

É você essa pessoa?

Se sim, perfeito. Se não, procure alguém para cumprir a primeira demanda.

Eu atuo como coralista e regente de coro há vinte anos. E entendo o agrupamento de forma muito específica e carinhosa, já fiz uma publicação que introduz o tema. Mas em síntese trago o coral com muita relevância do fazer musical ocidental, que é conjunto e converge em uma experiência sociabilizadora.

Explore um pouco mais sobre o agrupamento no infográfico que preparei outrora. Leia aqui!

Cantar é uma atividade muito positiva. E reunir-se para cantar então, nem se fala. O coro pode ser uma atividade recreativa de seu clube, escola do ensino regular, condomínio… Mas bom, Como montar um coro amador em 7 passos?

Primeiro passo: Procure um espaço adequado, amplo e arejado. Os cantores podem até cantar sentados, mas em pé o aparelho vocal amador traz melhores resultados.

Segundo passo: Você precisará de um instrumento que lhe conceda visualização, ou um teclado – de poucas oitavas, ou um piano, se for o caso.

Terceiro passo: Convide as pessoas, já sabendo que terá o interesse feminino maior que o masculino. Raramente em um coro amador conseguimos equilíbrio numérico entre as vozes.

Quarto passo: Escolha o repertório entre canções populares conhecidas, folclóricas também, que façam parte de certo modo da memória vocal do coletivo que agrupou. Experimente livremente, até chegar a um consenso.

Quinto passo: Distribua as letras, e peça aos coralistas que tenham em mãos lápis ou caneta para suas anotações, principalmente de respiração.

Sexto passo: Faça como plano de atividade alongamento dos membros, relaxamento, movimente as articulações. Inicie sempre desse modo e parta a seguir para exercícios de respiração. E afinação em pequenos exemplos. Priorize o cantar melodias reais no início para cativas, tocando no teclado conjuntamente as vozes.

Sétimo passo: Inicie seu coro em uníssono ou oitava: todos cantarão a mesma melodia. A seguir poderá produzir um cânone, que trará já a primeira ideia de canto polifônico. Não sabe o que é cânone? Leia nessa publicação. Em um segundo momento abra vozes em terças e sextas. Para só a seguir cantar vozes independentes. Esse processo pode ser de um ano.

Essa publicação merece continuação, falaremos mais sobre o assunto e ampliaremos essa mesma publicação com intuito de melhor instruir.

Claro, aos licenciados em educação musical, ou pedagogia, saiba que há pós-graduação em regência coral. Saiba mais!

 

SHARE
Previous articleComo estudar música, sozinho? Em sete passos
Next articleQual o maior compositor paulistano da história da música popular?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.