Como fazer um planejamento de estudo em música para o instrumento?

Como fazer um planejamento de estudo em música para o instrumento?

O dia a dia do estudante de música e do músico profissional são bastante similares. O estudo faz parte do desenvolvimento e continuidade para nossas carreiras, e fazer um planejamento de estudo em música é uma ação obrigatória.

Tocar faz parte de um aprendizado novo, tanto quanto do condicionamento permanente que nós músicos necessitamos, mas nem sempre tocar é estudar. Se tudo inicia com um bom planejamento de estudo, como organizar o tempo?

O “Tocar” que estou falando ocorre a partir de um sistema fisiológico condicionado. A preparação do condicionamento envolve uma construção muscular – e apenas no caso de instrumento de cordas que pressiona cordas, uma pele em superfície preparada.

O condicionamento em si está relacionado a repetição. Como condicionar a execução sem passar pelos movimentos repetitivos?

Vale lembrar que para uma situação de estudo precisamos de um ambiente ideal. Esse ambiente ideal precisa ter absolutamente tudo que é preciso para sua prática musical: uma cadeira confortável, ambiente arejado, estante de partitura, apoios e outros objetos que sejam necessários para a prática musical, e evidentemente um bom instrumento, que é aquele que atende aos anseios do seu momento técnico.

Consolidada a questão primordial do ambiente de estudo surge o motivo central desse texto: o planejamento de estudo.

O planejamento de estudo deve ser construído em duas seções fundamentais – condicionamento|manutenção e novo desenvolvimento.

Condicionamento reúne as práticas que consolidam e promovem manutenção da musculatura e movimentos em seu instrumento.

Novo desenvolvimento reúne tudo que promove avanço, desde um repertório até um novo movimento fisiológico.

Como está o desafio que compõe o seu fazer musical?

Como sugestão para um bom planejamento de estudo:

Na primeira etapa, sob a ótima do condicionamento e manutenção,  exclusivamente questões técnicas. Então: Escalas, arpejos, mão direita, mão esquerda, ligados em cerca de uma hora, divididos em períodos de 10 minutos sucessivos, como exemplo ao violonista.

O que corresponderia ao concionamento no seu instrumento? Entendendo condicionamento como movimentos fundamentais.

No pandeiro, por exemplo, seria eixo de mão direita, eixo de mão esquerda, ponta e base, tapa, rufo e chocalho, conforme organizei no Manual do Pandeiro – publicado no Kindle, Amazon. Baixe seu aplicativo, e adquira o método.

Na segunda etapa entra o novo desafio composto normalmente por repertórios, que podemos procurar novos padrões, novas situações melódicas e harmônicas, novos desafios que a seguir refletirão no primeiro ciclo ou estágio do estudo. Normalmente entre uma e duas horas.

O reflexo da segunda etapa ocorre ativando ao dia seguinte um condicionamento do que considerarmos insuficiente na primeira etapa.

Se você possuir mais tempo, construa um intervalo entre dez minutos e meia hora, e recomece a atividade seguindo exatamente o mesmo projeto.

Condicionamento! O estudo da música depende de repetição.

Mas se quer estudar improvisação, evite a repetição pura e simples, e dedique-se a audição e variação.

E quando os exercícios são mais que o tempo que disponho?

Temos um longo tempo de dedicação a um instrumento pela frente, atingimos para determinado tipo de estudo um número alto de exercícios e atividades que formam bem mais que os dez minutos. Mão direita se possuímos setenta exercícios e atividades diferentes, faça cinco exercícios de mão direita no dia, assim levará vinte e cinco dias para cumprir o ciclo. É uma ideia de rotação de conhecimento.

O importante é que o repertório dê movimento e se mantenha ativo em sua construção cognitiva e fisiológica.

Então cada estudo possui um número de exercícios e por tal, formará um ciclo. Sejamos cuidadosos quanto a isso para que os estudos contemplem sempre todas as atividades que precisamos para manter nosso condicionamento.

Lembre que tudo parte de um bom planejamento.

#VemProSouzaLima

 

 

 

SHARE
Previous articleComposição popular se ensina?
Next articleQual impacto do MP3 no mercado fonográfico?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. Coordena as unidades Moema e Alphaville desde 2010. João Marcondes também atua na instituição em tarefas administrativas, é assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. É autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Seus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. É diretor e fundador da gravadora BAC Discos! www.bacdiscos.com/