Como estudar a música do Brasil? Com Conrado Paulino!

música brasilera

Como estudar a música do Brasil? Com Conrado Paulino!

Como forma de nortear o estudo, o BLOG Souza Lima em espanhol lançou a série Na Prática da Música Brasileira. O segundo entrevistado foi Conrado Paulino. Violonista, violonista, arranjador e compositor, uruguaio mas que está no Brasil a cerca de quarenta anos. É um brazuqueiro!

Eu tive a oportunidade de gravar seu disco Wrong Way, e tocando percussão! Veja só!

(1226) Todo o Sentimento (Chico Buarque-C.Bastos) Conrado Paulino, violão – YouTube

Em cada entrevista um ponto de vista de como estudar a música brasileira será trazido aqui em nosso blog!

ENTREVISTA

1) O que você considera mais relevante no estudo para desenvolver a prática da música brasileira?

O primeiro passo é ouvir, constituir uma referência de repertório. De Pixinguinha, Jobim, Bossa-nova, música mais moderna, porque se você não tem o som na cabeça, o resto é inútil. É como estudar muita escala e querer tocar jazz, mas sem ouvir jazz. É mais importante ouvir para construir essa biblioteca mental que estamos criando do que continuar subindo e descendo uma escala. Alimente primeiro as referências, memórias e vínculos afetivos. Ouvir!

(1226) Olha para o céu – YouTube

Essa cuíca aí sou eu!

2) Então, mas o que será mais dedicado no segundo momento? A melodia? Harmonia? Improvisação? Conhecimento do repertório?

O primeiro é avaliar, diagnosticar. Porque tem gente que prevalece o ouvido harmônico, outras o ouvido rítmico, até mesmo o melódico. Eu, por exemplo, sou um músico cujo ouvido harmônico prevalece. Portanto, avalia que você tem que identificar o ponto fraco e trabalhar nisso. Claro, mantendo todo mundo à vista. Para a música brasileira, entendo o acompanhamento como essencial – repertório harmônico, pistas e ritmos. Este resolvido move a melodia e a improvisação.

3) Quais são suas principais referências como compositor e instrumentista?

Minhas referências como compositor em particular são Johnny Alf e Tom Jobim. Hoje, não poderia deixar de citar o compositor e violonista Guinga, que é uma influência muito presente. E como instrumentista Hélio Delmiro, Lula Galvão e Romero Lubambo.

 

Obrigado Conrado! A comunidade latino-americana agradece!

 

Entrevista realizada por mim João Marcondes, pelo whatsapp em 6 de abril de 2019.

https://youtu.be/fMk93Ju6Sf4

SHARE
Previous articleQual elemento é mais importante no estudo da música brasileira?
Next articlePollaco Oliva – Entrevista sobre a prática da música brasileira.
Primeiro me segue no instagram: joaomarcondesoficial! Eu sou o Professor João Marcondes! Sou coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular de Música (extensivo, semi-intensivo e intensivo), do Curso Técnico em Processos Fonográficos - Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, cursos que ocorrem na unidade Paraíso. Também coordeno programas livres como Arranjo para pequenos agrupamentos, Arranjo para agrupamentos médios, Composição Instrumental. E coordeno as unidades Moema e Alphaville desde 2010. Também atuo na instituição em tarefas administrativas, como assistente de direção da instituição e diretor da editora Souza Lima. Sou autor do BLOG Souza Lima e do BLOG Souza Lima - Magazine Luiza! Meus livros e métodos estão publicados no KINDLE - Amazon em parceria com a Editora Souza Lima. Sou educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Suas composições e obras fonográficas estão disponíveis para audição no Spotify, Deezer e iTunes Music. É diretor e fundador da gravadora BAC Discos! www.bacdiscos.com/ Segue no instagram; https://www.instagram.com/joaomarcondesoficial/