Como desenvolver a percepção de modos

A percepção de modos é parte integrante dos vestibulares, está previsto no manual ou ementas das principais faculdades de música.

A ação perceptiva se dá na demonstração do modo de forma escalar.

Modo é uma maneira de organizar determinado conjunto de notas. Por exemplo: um conjunto de sons naturais possui sete formas de apresentação.

Dó ré mi fá sol lá si dó, modo jônio.

Ré mi fá sol lá si dó ré, modo dórico.

Mi fá sol lá si dó ré mi, modo frígio.

Fá sol lá si do ré mi fá, modo lídio.

Sol lá si do ré mi fá sol, modo mixolídio.

Lá si do ré mi fá sol lá, modo eólio.

Si dó ré mi fá sol lá si, modo lócrio.

Cada maneira que se organiza o conjunto, compõe-se um modo diferente. São intervalos diferentes. E nessa apropriação se dará o desenvolvimento da percepção.

Há três modos que possuem terça maior:

O modo jônio possui F 2M 3M 4J 5J 6M 7M 8J.

O modo lídio possui F 2M 3M 4+ 5J 6M 7M 8J.

O modo mixolídio possui F 2M 3M 4J 5J 6M 7m 8J.

Há quatro modos que possuem terça menor, e separados em dois grupos conservam suas peculiaridades:

O modo eólio possui F 2M 3m 4J 5J 6m 7m 8J. Sinônimo de escala menor primitiva.

O modo dórico possui F 2M 3m 4J 5J 6M 7m 8J.

O modo frígio possui F 2m 3m 4J 5J 6m 7m 8J.

O modo lócrio possui F 2m 3m 4J 5D 6m 7m 8J.

Para a percepção trata-se de avaliar cada percurso. E não são muitos percursos na realidade. Observe a seguir os modos organizados, partindo da mesma fundamental, assim, como estruturas homônimas. Evidentemente abaixo estão compostos os modos sob conjuntos diferentes.

  1. O percurso do modo maior possui F 2M 3M como pontos comuns. Reconheceu o modo maior, agora se atenha ao quarto passo, se for o intervalo de quarta aumentada apenas o modo lídio a possui. Se for quarta justa, você possui dois percursos possíveis, o do modo jônio possui o intervalo de sétima maior, sensível para a fundamental da estrutura. Enquanto o modo mixolídio possui intervalo de sétima menor, que não compõe sensível.

joão marcondes

Dó lídio é modo do conjunto da escala de sol maior. Dó jônio é modo do conjunto da escala de dó maior. Dó mixolídio é modo do conjunto da escala de fá maior. Observe os acidentes e associe a cada escala.

O percurso do modo menor possui dois formatos. E que já se separam imediatamente.

2. O primeiro percurso do modo menor possui F 2M 3m. E ainda 4J e 5J como elementos comuns. Logo a diferença entre os modos está no sexto grau. São o modo eólio (menor primitiva) e o modo dórico.

Dó eólio é modo do conjunto da escala de mi bemol maior. Dó dórico é modo do conjunto da escala de si bemol maior.

3. O segundo percurso do modo menor possui F 2m 3m. A 4J também é um intervalo comum entre esses dois modos. Logo a diferença está no quinto grau. São eles: o modo frígio e o modo lócrio.

Dó frígio é modo do conjunto da escala de lá bemol maior. Dó lócrio é modo do conjunto da escala de ré bemol maior.

Como desenvolver a percepção dos modos:

  • Ouça todos os modos de maneira a perceber sua configuração.
  • Na primeira execução do modo, separe o modo executado em um dos dois grupos:
  1. F 2M 3M (jônio, lídio ou mixolídio).
  2. F 2M 3m (eólio ou dórico).
  3. F 2m 3m (frígio ou lócrio).
  • Na segunda audição perceba os pontos que trazem diferença entre os modos.

Escalas Menores

Quando se agrupam a estrutura perceptiva a escala menor harmônica e a escala menor melódica, os grupos ganham personagens a mais. E a percepção de modos cobra mais especialidade.

A estrutura da escala menor harmônica, se relaciona com a escala menor primitiva, modo eólio. Altera-se a sétima entre uma estrutura e outra. A menor harmônica possui sétima maior.

A estrutura da escala menor melódica, se relaciona com ao modo dórico. Altera-se a sétima entre uma estrutura e outra. A menor melódica em movimento ascendente possui sétima maior.

Algumas escolas do pensamento musical consideram a menor melódica como uma estrutura única. No entanto, para a história da música a estrutura conhecida como menor melódica possui dois movimentos, o que pode ser cobrado no vestibular de algumas instituições, subindo com a estrutura supracitada, e regressando no movimento da escala menor primitiva, por motivos de vocalização.

*É a única estrutura que possui movimento ascendente e descendente antagônicos. O termo original, fica por minha conta, para diferenciarmos nessa publicação. Não utilize. 

A estrutura da menor melódica subindo e descendo de maneira diferente está relacionada a prática da música medieval e renascentista, e em partes da música barroca. E estritamente vocal.

A estrutura da menor melódica subindo e descendo de maneira idêntica está relacionado ao advento da música puramente instrumental, e seu personagem central J.S. Bach. Por isso é denominada na história da música como escala menor bachiana.

A menor bachiana (termo da música erudita) sobe e desce de igual maneira, e a música popular a chama de menor melódica.

E quanto a percepção?

Assim, se o vestibular cobra todas as estruturas conjuntamente, precisamos separar em novos grupos.

Maior em dois percursos. Menores em três percursos.

  1. F 2M 3M 4J 5J 6M 7m (mixolídio) ou 7M (jônio).
  2. F 2M 3M 4+ (lídio) 5J 6M 7M.
  3. F 2M 3m 4J 5J 6m(eólio ou menor harmônica). 7m (eólio) ou 7M (menor harmônica).
  4. F 2M 3m 4J 5J 6M (dórico ou menor melódica). 7m (dórico) ou 7M (menor melódica).
  5. F 2m 3m 4J 5J(frígio) ou 5d (lócrio), 6m e 7m.

Assim:

  • Perceba se é a estrutura é maior ou menor. Na primeira audição.
  • Reconheça o grupo, em um dos cinco percursos.
  • Defina o modo, em sua diferença pontual.

Bons estudos.

Procure praticar entoando, ou tocando em um instrumento de teclas.

SHARE
Previous articleAs características da Voz
Next articleDe onde vêm os acordes?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.