As características do violão

caracteristicas do violao capa

Perguntas não faltam. Onde estão as notas do violão? O que são casas? O que são os trastes? Para que servem?

Os sons do violão partem das cordas soltas. E possui origem, que a história da música afirma, da mistura da guitarra romântica ao alaúde. Cordas pinçadas, certo? Lembre-se que o violão possui esse nome apenas no Brasil. Os jesuítas por volta do século XVII introduziram a viola portuguesa (de arame), hoje conhecida como viola caipira, ou há até quem prefira viola brasileira.

A viola é um instrumento com quase uma dezena de afinações populares, e que por sua popularidade de então cravou o nome da guitarra clássica para o mundo no Brasil codinome: violão.

Aquele “viólão”? Era de fato uma viola grande

Em 12 cordas formam-se duplas igualmente a viola. Os três primeiros pares de cordas, de baixo para cima geograficamente, do agudo para o grave musicalmente, são sons de mesma altura.

A partir da quarta corda há variações de uma e até duas oitavas. Na quarta ré em 146,8 hertz, e a própria nota ré oitava acima em 293,6 hertz. Na quinta e sexta corda, o som original, e as mesmas notas duas oitavas acima (mi 82,4 hert e mi 329,6 hert, lá 110 hertz e lá 440 hertz). Incrível.

Ao violão de 7 cordas acrescenta-se a nota dó terça maior abaixo do mi original da sexta corda. Mas há violonistas, como eu, que afinam a sétima corda em si, meio tom abaixo desse dó.

Posições ao violonista não faltam. A popular. A clássica. E essa regional muitíssimo utilizada no Brasil pelos chorões, provavelmente pelos pequenos espaços físicos que essa música brasileira se desenvolveu.

Sempre procuramos caminhos.

E você já tem tudo que um violonista necessita? Ou ainda lhe falta algo?

Vamos fazer uma lista?

  • Um bom violão – não um instrumento caro, um instrumento adequado ao seu estágio.
  • Um apoio de pé.
  • Um afinador.
  • Uma estante de partitura.
  • Talvez uma paleta se o violão for folk. Ou uma dedeira para potencializar as baixarias típicas do choro (não pense mal).
  • Um bom professor. É possível aprender sozinho, temos sugestões em alguns artigos publicados aqui no BLOG: Como estudar música sozinho em 7 passos.

Você sabia?

Que o violão folk ainda pode possuir uma terça menor a mais de tessitura chegando até a nota ré? Isso mesmo. Não se utiliza muito na grafia, mas se utiliza e muito em improvisações.

Vamos lá, vamos aprender mais sobre o violão com nosso infográfico a seguir:

características do violao

Créditos:
Conteúdo: Professor João Marcondes
Infografia: Jean Forrer

Opinião pessoal:

O Violão é um instrumento muito completo. Realiza harmonia e melodia, ou ambas em concomitância. Há recursos para ampla expressividade, embora sua projeção seja pequena se comparada a um piano ou a algum instrumento de sopro.

A mítica do violão brasileiro constituiu-se em detrimento a valores conservadores. Sim! O violão foi tratado no século XIX e meados do século XX como instrumento de vagabundo. E curiosamente foi por ele que a música brasileira mais de desenvolveu. 

Foi o último instrumento aceito nas salas de concerto internacionais como erudito. Calhou de desenvolver-se pelo interesse de notáveis compositores, como por exemplo, Heitor Villa-Lobos.

O violão ainda escapou do avanço da guitarra elétrica permanecendo intacto. 

Há quem diga por aí que é o instrumento mais fácil de se tocar mal, e mais difícil de se tocar bem. Pode ser que seja mesmo. Mas que o aprendizado incalculável não basta para sobrepujar todo esplendor. O violão é um instrumento acima do tempo.

Claro, é meu instrumento. É o instrumento que me dedico a mais tempo. E que até defenderia se precisasse. Mas a obra que a ele dedicaram sobrepõe qualquer argumento.

Artigo publicado em 21 de dezembro de 2017, ampliado, aprimorado e renovado em 5 de dezembro de 2018. Comemorando o TOP5 do Blog Souza Lima, em segundo lugar entre os artigos mais lidos.

 

 

SHARE
Previous articleQual Instrumento Musical é mais fácil de aprender?
Next articleQuanto tempo dura a faculdade de música?
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.