As características da Voz

Um instrumento musical, por que não? Voz esta que contempla a todos, que encanta. Instrumento acessível e popular. Dos coros. Das serestas. Para o mercado fonográfico de fato transformou-se. Aquela voz que já foi dos enigmas profundos, do bell canto, do timbre unificado e com os processos de gravação passou para a música popular por um modelo pessoal, digno da unicidade e impressão digital.

Se é a voz e violão de João Gilberto, em vocalização pequena inspirada em Mário Reis.

Ou das vozes plenas de um Francisco Alves, Nelson Gonçalves, Carmen Miranda e Aracy de Almeida e tantos outros. Das vozes femininas sequer poderia citar, são intensas, e grandiosas, que silencio em homenagem, para apenas apreciar. Se bem que:

Elis Regina. Bethânia. Gal Costa. Nana Caymmi. Clara Nunes. Carmélia Alves. Elizeth Cardoso.

Aos que procuram referências muitas são. Programas de auditório talvez tentem transformar a voz brasileira em um padrão pasteurizado internacional, com os mesmos melismas e alcances que inexistem por aqui. Tudo bem, que mal tem? Só não se esqueça da tradição dos intérpretes brasileiros. Que são muitos!

Se puxar pela história chegaria a Baiano, Vicente Celestino e Aracy Cortês. Os três primeiros nomes do canto brasileiro a se estabelecer como artistas, produto do mercado fonográfico.

No Brasil onde compositores são intérpretes tão estrelados. Quem não prefere seu  compositor cantando a própria música? E não sei se você sabia, mas isso começou com certo poeta da Vila, de nome Noel Rosa. Um compositor de voz pequena que o microfone e seu processo transdutor irreversível propiciou para humanidade uma reinvenção artística.

Mas afinal de onde vem tão linda voz? Como ocorre fisiologicamente? Você já sabe?

O aparelho vocal e a emissão dos sons é um processo complexo. Requer controle. Requer treinamento. Requer preparação.

Tem interesse no estudo da técnica vocal?

Aproveite o infográfico e supra algumas curiosidades.

As vozes humanas possuem qualificações particulares, próprias. Não se autoavalie. O que você pode considerar como ausência de “talento”, na verdade pode ser apenas um condicionamento errado do canto. Uma tonalidade errada? Uma projeção equivocada?

Saiba que o mal uso da voz pode causar lesões seríssimas!

Estudar música é algo muito especial. Procure um especialista, se preciso consulte um médico para a saúde vocal, ou um fonoaudiólogo, aproveite! Cantar é sensacional!

Infográfico com conteúdo e texto meus, João Marcondes, para design de Jean Forrer.

Opinião:

Estudar é algo muito positivo. Instiga. Revela. Através do estudo pensamos, e a partir do pensamento compreendemos. 

A voz é um instrumento que todos temos, mas que está escondida. Controlar algo que não vemos parece uma missão impossível. Sozinho, talvez até seja. 

Uma das práticas que realizo como coordenador pedagógico desde 2011, é a de acompanhar recitais. Abrir, fechar. Estar presente. Ver semestralmente um grupo de alunos, propicia observar a evolução.

E a evolução é notória. Desde a colocação da voz, desenvolvimento e projeção. Compreensão de valores musicais da afinação. Respiração. Evidentemente culminando em um desempenho de palco, em uma excelente apresentação.

Estudar música não é como aprender a usar um celular. 

Estudar música leva tempo. Sempre comparo estudar música com uma atividade física. Estamos usando nosso corpo, seja tocando um instrumento, ou cantando. E condicionar uma musculatura é um processo relativamente lento. De médio prazo. 

É possível colher resultados em pouco tempo.Os resultados chegarão movidos por uma entrega, por um autoconhecimento, por repetição. Não estamos falando de estudar horas a fio, sem pausa. Que não adianta, pois pode ocasionar lesões.

Estamos falando de aproveitar o processo tão valioso do estudo da música.

Cantar é algo muito especial. Temos outros artigos nessa linha em nosso blog.

Aproveite! E articule sua iniciação!

Artigo publicado em 16 de janeiro de 2018, ampliado e atualizado em 10 de novembro de 2018.

SHARE
Previous articleO que são Cifras?
Next articleComo desenvolver a percepção de modos
João Marcondes
Professor João Marcondes é coordenador pedagógico das unidades Moema, Alphaville, Ribeirão Preto e Lençóis Paulistas. É idealizador e coordenador pedagógico dos programas Composição Popular - Letra e Musica, do Preparatório para Vestibular (extensivo e semi-intensivo), do Curso Técnico em Produção Musical, e da Pós-Graduação em Educação Musical, que ocorrem na unidade Paraíso. João Marcondes atua na instituição em tarefas administrativas como assistente de direção, e ainda é diretor da editora Souza Lima. É editor e autor do BLOG Souza Lima, com mais de quinhentas publicações (BR, ES e EN). É educador Musical, compositor, arranjador e instrumentista. Mestre em Educação Arte e História da Cultura, especializado em docência em música brasileira, graduado e técnico em música. Composições e obras disponível no Spotify, Deezer e iTunes Music.